Uma decisão da Justiça Federal determinou a contratação temporária de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem para atendimento no Hospital das Clínicas de Uberaba, no Triângulo Mineiro. Segundo a decisão, o processo terá que ser concluído pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) em um prazo de 60 dias e, dentro de seis meses, a escola terá que providenciar medidas técnicas e orçamentárias para adequar em definitivo o número de servidores à demanda de atendimento na unidade.
 
A determinação atende a uma ação do Ministério Público Federal (MPF) que denunciou a falta de profissionais de enfermagem no Hospital das Clínicas. Segundo relatório de vistoria do Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Coren-MG), a unidade tem 291 leitos e possui déficit de profissionais, principalmente nos plantões noturnos e finais de semana, quando um enfermeiro chega a assumir sozinho 74 leitos e três unidades diferentes ao mesmo tempo.
 
Além disso, o MPF alegou que o Hospital das Clínicas é referência em saúde pública para 27 municípios do Triângulo e que a falta de profissionais foi atestada inclusive por profissionais da instituição. Segundo o órgão, durante a fase de instrução do processo, o superintendente do hospital afirmou que a situação se mantinha equilibrada em função da contratação de pessoal terceirizado por meio da Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba (FUNEPU), que atualmente representa 50% do total de trabalhadores no local. No entanto, eles terão que ser dispensados em função de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e que poderá inviabilizar o atendimento de saúde.
 
Um edital para contratação de 133 enfermeiros foi publicado no ano passado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), responsável pela gestão do hospital escola. Entretanto, o Ministério Público alegou que o número de vagas disponibilizadas no processo não atendem às necessidades da unidade. Por isso, a Justiça acatou o pedido do MPF impondo a contratação temporária dos profissionais, por meio de processo seletivo simplificado, até a efetivação de concurso público.
 
A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da UFTM e do Hospital das Clínicas, mas ninguém foi encontrado para comentar o assunto.