Mais uma vez um feriado em Minas termina com um balanço assustador de mortes nas rodovias estaduais e federais que cortam o Estado. Ao todo, 52 pessoas morreram durante os cinco dias de operação do feriado do Dia do Trabalho nas rodovias mineiras. O balanço final só foi concluído nesta terça-feira (6), quando a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) também divulgou o resultado das operações realizadas nas rodovias estaduais neste período.
 
Segundo a corporação, 29 pessoas faleceram e 379 ficaram feridas em 376 acidentes registrados entre 8 horas da última quarta-feira (30) e 6h dessa segunda-feira (5). O número é superior aos óbitos ocorridos nas estradas federais que cortam o Estado, onde 23 pessoas perderam a vida e 212 ficaram feridos em 271 batidas. 
 
O que torna a situação ainda mais grave neste balanço é se comparado com o último feriado prolongado, de Semana Santa e Tiradentes, quando 32 pessoas perderam a vida nas estradas mineiras e 631 sofreram ferimentos em 824 colisões. Ou seja, desta vez foram 20 óbitos a mais, mesmo sendo em um período não considerado feriado prolongado pelas polícias, já que a sexta-feira (2) foi dia últil para muito mineiros.
 
Segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Aristides Júnior, chefe da assessoria de imprensa do órgão em Minas, o expressivo aumento do número de mortes em relação ao feriado de Semana Santa e Tiradentes é decorrente exclusivamente de falha humana. Ele garantiu que o mesmo tipo de fiscalização foi feita durante o último feriado prolongado de cinco dias.
 
Conforme o inspetor, o fato do movimento nas estradas ter sido bem menor, por sexta não ter sido feriado, fez com os motoristas tivessem mais espaço e arriscassem mais. "Com as estradas mais vazias, aqueles que viajaram tiveram mais chances de fazer manobras perigosas, como as ultrapassagens. Com isso, o número de mortes foi maior. Uma prova da falha humana é que a maioria das vítimas, sendo 15 exatamente, morreu durante oito batidas frontais nas BRs, que é o acidente mais grave que temos e, normalmente, causado por ultrapassagens mal sucedidas".
 
 
Lei Seca
 
A PMRv também informou que, só nas estradas estaduais, 76 pessoas foram presas por dirigir sob o efeito de bebida alcoólica. Outros 20 condutores foram detidos por prática de diferentes crimes de trânsito. Além disso, foram realizados 1.241 testes de bafômetro e 56 veículos acabaram apreendidos.
 
Atualizada às 18h39.