Os metroviários de Belo Horizonte descartaram greve de mais de 24 horas. Durante reunião da categoria, ficou decidido que a paralisação, realmente, irá durar até a meia-noite desta quarta-feira (19). A informação foi passada pela assessoria de imprensa do Sindicado dos Metroviários de Minas Gerais (SindMetro).
 
De braços cruzados desde às 0 horas, os metroviários se concentraram na Praça da Estação às 8h e, de lá, seguiram em passeata até o Ministério do Trabalho - que fica na rua Bernardo Guimarães, no bairro Funcionários -, onde ocorreu audiência de conciliação sem acordo às 10h. Às 14h30, os diretores do SindMetro ainda participam de reunião no TRT.
 
Reivindicação
 
Os metroviários estão insatisfeitos com a privatização do metrô e temem uma demissão em massa, além do aumento das passagens. “No Rio de Janeiro, após a privatização, foram mais de 3 mil demissões”, disse o vice-presidente do SindMetro, Romeu José Machado Neto. Ele fez questão de relembrar que o reajuste da passagem na capital carioca foi de R$ 1,60 para R$ 3,20.
 
Reforço
 
Em função da paralisação do metrô, a BHTrans planejou um aumento na frota do BRT/Move em 72,2%. Na Estação São Gabriel foram disponibilizados mais 13 ônibus nas linhas 83D (Estação São Gabriel/ Centro – Direta) ou 83P (Estação São Gabriel/ Centro – Paradora), de acordo com a demanda.
 
Ainda segundo a o órgão de trânsito, na Estação Vilarinho, a linha 60 (Venda Nova/ Centro), opera com mais cinco veículos desde às 5 horas.