O Espaço Comum Luiz Estrela foi autorizado pela Diretoria de Patrimônio Histórico de Belo Horizonte a executar as obras emergenciais no casarão da rua Manaus, no bairro Santa Efigênia. A medida vai garantir a preservação do prédio tombado. A decisão foi tomada no fim da tarde desta terça-feira (26).

Como o Hoje em Dia vem divulgando, o imóvel, tombado pelo Município, está sem utilização desde 1994. O Governo de Minas é o proprietário do prédio construído em 1913.

Nesta quarta-feira (27), às 16h30, na Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e Cultural, Habitação e Urbanismo acontece a quarta reunião entre representantes da ocupação, Governo de Minas e o Ministério Público.

Nela será discutida a saída dos ocupantes do local e o grupo que deve gerir as obras. A Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma) também está na disputa. “Com a proposta aprovada, precisamos apenas que o Governo de Minas atenda aquilo que solicitamos em todas as reuniões: suspenda a cessão do imóvel à Feluma, autorize a sociedade civil a executar as medidas emergenciais no prédio e inicie um amplo debate com a população sobre a gestão horizontal do Espaço Comum Luiz Estrela no local”, explicou o assessor de imprensa do Espaço, Victor Diniz.

O chefe da Assessoria de Articulação, Parceria e Participação do Estado, Ronaldo Pedron, que está mediando a discussão, foi procurado pela reportagem mas disse que só irá se pronunciar após a reunião de logo mais.