Por causa do constante uso de drogas, assaltos e furtos dentro do campus das Universidade Federal de Uberlândia (UFU), o Ministério Público Federal (MPF) quer que um posto da Polícia Militar (PM) seja instalado na instituição. Para isso, o órgão entrou com ação civil pública para que a Justiça Federal impeça que a universidade crie obstáculos quanto à presença da PM em seus campi.
 
A mãe de um aluno do curso de Engenharia relatou ao MPF que a situação nos campi é alarmante. A UFU informou que adota medidas de segurança, como orientação de vigias, instalação de câmeras em vários locais, além de campanhas, para controlar a criminalidade na universidade. 
 
“É evidente que tais providências nem de longe atendem à necessidade de segurança da comunidade acadêmica”, afirma o procurador da República Cléber Eutáquio Neves. Para ele, é necessário que a UFU permita o acesso contínuo da PM nas dependências dos campi. 
 
Na ação, o MPF pediu que a Justiça Federal obrigue a UFU a disponibilizar, no prazo de 30 dias, em cada um de seus campi, espaço destinado à instalação de um posto permanente da PM.  Por sua vez, o Estado de Minas Gerais, que também é réu na ação, deverá disponibilizar pessoal e estrutura necessários para esse atendimento.