Aproximadamente 150 catadores de papel participam de uma caminhada na manhã desta segunda-feira (6) no Hirpecentro de Belo Horizonte. A manifestação, que faz parte da “Marcha pela Coleta Seletiva com Inclusão dos Catadores”, passa pelo Barro Preto, na região Centro-Sul da cidade, atrapalhando o trânsito nas avenidas Amazonas e Barbacena.

O grupo deve seguir até a Praça da Assembleia Legislativa, no bairro Santo Agostinho, onde irá ocorrer um protesto a partir das 10 horas. Na Casa Parlamentar, será realizada uma audiência pública a pedido do deputado André Quintão, com o intuito de discutir a parceria Pública-Privado (PPP) na Grande BH.

Segundo Quintão, o objetivo do debate é conhecer detalhadamente o modelo de parceria para a gestão dos resíduos sólidos apresentada pelo Governo do Estado e avaliar se ela contempla a ampliação da coleta seletiva e a inclusão sócio produtiva dos catadores de materiais recicláveis. O parlamentar explica que hoje essas são duas diretrizes das políticas estadual e nacional de resíduos sólidos. Já a marcha é promovida pelo Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) e pelo Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (Insea)

Protestos

Há uma semana o prefeito de BH, Marcio Lacerda, informou que a prefeitura conseguiu uma liminar na Justiça que impede a ocupação total de ruas e avenidas durante manifestações.

Conforme a determinação, somente 1/3 das vias podem ser obstruídas pelos grupos. Caso a ordem não seja cumprida, os sindicatos estarão sujeitos a multas que podem chegar a R$ 100 mil por dia. Atualizada às 9:53

             Catadores de papel fazem manifestação em Belo Horizonte
                          Intuito de discutir a parceria Pública-Privado sobre a coleta na Grande BH
                                                        (Toninho Almada/Hoje em Dia)