A máxima cultuada na moda de que menos é mais combina sobremaneira com o jeito de trabalhar e o estilo de vestir do arquiteto Júnior Piacesi, 36 anos. “A arquitetura e a moda andam juntas.

Tem como errar se eu colocar uma calça preta e uma camisa branca? Não. Isso é roupa atemporal. Você pode ter hoje e daqui há cinco anos a roupa está lá, bacana, se tiver um bom tecido, um bom corte. É a mesma coisa quando você escolhe um papel de parede muito fantasiado para a sua casa. Chega um tempo que não dá conta, enjoa”, diz o arquiteto, que, claro, coleciona camisas brancas.

“Acho que tenho umas 200. Camisa branca é um curinga pra tudo. Põe calça jeans e está arrumado. Põe com bermuda e está arrumado. Com calça social também. Quem passa minhas camisas é a dona Osmária (uma senhora muito brava, segundo ele), que diz: ‘você tem uma loja aqui, então, não tem que comprar mais nada’. Compro e escondo dela”, diz, soltando uma gostosa risada.

Diretor do escritório Piacesi Arquitetos Associados, Júnior não se faz de rogado e consegue com maestria conciliar a agitada agenda de projetos (atualmente 25) – de quarto de hotéis a showrooms, passando por escritórios de grandes empresas, cafeteria, clínicas e residências –, com hábitos simples, como ouvir música quando acorda, manter uma pequena horta no apartamento, fazer café para receber amigos e o mais importante: ouvir as pessoas, principalmente os clientes.

Talvez, este seja o segredo do sucesso dos empreendimentos do jovem arquiteto, que está com Homme na mostra Morar mais por menos (até 4 de outubro, no Mangabeiras).

Arquitetura para todos

“O bom arquiteto tem que fazer um espaço criativo e sofisticado dentro da realidade do cliente. Me lembro da Casa Cor 2010 quando a moça da limpeza chegou pra mim e falou assim: ‘eu nunca na minha vida vou ter uma casa dessas’. Aquilo me incomodou. Eu virei pra ela e falei: ‘Às vezes, você não vai ter mesa e prateleiras como essas, mas pode fazer o mesmo projeto com MDF pintado de branco’. A arquitetura é pra todo mundo, porque isso deixa sua vida mais gostosa, organizada, mais leve para você viver”.

O mais recente catálogo “Todo Dia”, lançado pelo escritório dele, reflete o estilo de vida de Júnior, inspirado nas necessidades do cotidiano e comprometido com soluções práticas e funcionais. “Falo que nasci para cuidar da casa. Se eu pudesse cuidar da minha o dia inteiro eu ia adorar”, diz o arquiteto, fã de objetos brancos, e roupa jeans e marinho. Algumas estampas, como xadrez, listrados e motivos mais clássicos também são bem-vindos.

Para quem adora novidades como ele, não existe investimento melhor que comprar durante viagens, principalmente relógios, jeans e óculos escuros. E o futuro? “Quero poder trabalhar até ficar velhinho como Oscar Niemeyer (1907- 2002)). Prezo ter qualidade de vida e poder oferecer aconchego para receber as pessoas”.