As meninas do Camponesa/Minas terão uma missão possível, mas muito complicada na noite desta quinta-feira (9). Elas encaram o Rexona/Ades às 21h30 no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro, no segundo jogo da semifinal da Superliga Feminina de Vôlei.

O Rio venceu o primeiro jogo da série por 3 sets a 1, em Belo Horizonte, e precisa de apenas mais uma vitória para se garantir em sua 11ª decisão consecutiva da competição. Além da vantagem de jogar em casa após ter saído na frente no playoff, a equipe carioca terá o retrospecto a seu favor.

O Rio venceu as três partidas entre as duas equipes na atual temporada – 3 sets a 0 e 3 a 2 na fase de classificação. Além disso, as cariocas sofreram apenas uma derrota em toda a competição: foram 24 vitórias em 25 jogos.

Destaque da primeira partida, a ponteira Natália, do Rio, foi a maior pontuadora, com 21 acertos. Para ela, o segundo jogo da série será ainda mais equilibrado. “Cometemos muitos erros na primeira partida, mas foi importante termos começado a série semifinal com vitória. Sabemos que elas vão vir com tudo para o jogo desta quinta-feira, porque é a última chance para elas ficarem vivas dentro do campeonato. Temos que seguir trabalhando forte e focadas para fecharmos essa série em casa”, disse.

Melhor desempenho

Do lado do Minas, a experiente central Walewska, de 35 anos, acredita que a equipe terá uma atuação melhor diante do time comandando pelo técnico Bernardinho no segundo jogo.

“Temos um time jovem e algumas meninas estão vivendo uma semifinal de Superliga pela primeira vez. Acho que sentimos um pouco isso no primeiro jogo, mas já passou. A equipe tem tudo para fazer uma partida melhor no Rio de Janeiro e o grupo está confiante”, garante Walewska.