Dois grandes e tradicionais clubes do futebol brasileiro que vivem um momento turbulento em suas histórias centenárias. Assim Cruzeiro e Vasco se encontrarão pela primeira vez na Série B. O duelo será na próxima quinta-feira (24), às 21h30, no Mineirão. Cotados como favoritos ao acesso à Série A na temporada, ambas as equipes ainda não engrenaram como o esperado na competição, e o clima de pressão é constante nos bastidores. O Vasco ocupa apenas a 9ª colocação na tabela. Já o Cruzeiro está no Z-4: é o 18ª colocado. Só que a tabela de classificação está longe de ser o único ponto turbulento em comum das duas equipes. 

Insatisfação do torcedor 

Na última semana, após a derrota para o Avaí, na quarta rodada da Série B, torcedores do Vasco fizeram um protesto violento na saída dos jogadores do estádio São Januário. E o carro do meia Bruno Gomes foi danificado com pedradas. Contra o CRB, na rodada passada, um drone com uma faixa em tom ameaçador sobrevoou o estádio da equipe carioca: “O Vasco vale mais que suas vidas, joguem por elas”, dizia o recado.

O Cruzeiro não fica para trás quando o assunto é insatisfação que vem da torcida. A partida contra o CRB, pela segunda rodada, também foi marcada por manifestações durante o dia, na porta da Toca da Raposa II. Os torcedores protestaram contra o presidente Sérgio Santos Rodrigues, o então diretor técnico Deivid (que acabou sendo desligado do clube) e o nome de Rodrigo Pastana para o cargo de diretor de futebol - ele acabou sendo contratado, apesar da rejeição.

Comando técnico ameaçado

Com resultados insatisfatórios, é difícil ver o comando técnico das duas equipes ter tranquilidade para trabalhar. No Cruzeiro, Felipe Conceição não resistiu à eliminação na terceira fase da Copa do Brasil e às duas derrotas iniciais na Série B. Mozart Santos foi a aposta para a sequência da competição e, até aqui, conseguiu um empate, uma vitória e uma derrota em três jogos.

O trabalho de Marcelo Cabo na equipe vascaína é mais longo, já que assumiu o time no início da temporada. Ainda vivo na Copa do Brasil, Cabo, no entanto, chegou a balançar no cargo, nos últimos dias, segundo a imprensa carioca. Após conquistar a vitória diante do CRB, o treinador fez um discurso emocionado nos vestiários após a partida, no qual agradeceu aos atletas, ao diretor Alexandre Pássaro e definiu a derrota para o Avaí como “um dos dias mais difíceis da sua carreira”.

Dívida milionária

A crise financeira é outro aspecto que aproxima as duas equipes. Em um balanço divulgado no último mês de abril, o Vasco contabilizou uma dívida superior a R$ 800 milhões. O Cruzeiro está perto dos R$ 900 milhões e correndo sérios riscos de sofrer novas punições da Fifa e ter o impeditivo de registrar novos atletas. No caso da Raposa, a situação também é ruim com o grupo de jogadores e funcionários, devido aos recorrentes atrasos de salários – problema que também tem acompanhado a equipe vascaína durante a temporada.