O Atlético esteve duas vezes à frente no placar, mas acabou cedendo o empate para o lanterna da competição, Joinville, aumentando para sete pontos a distância para o líder Corinthians. O placar de 2 a 2, na cidade catarinense, foi todo construído no segundo tempo, em mais uma partida em que a arbitragem deixou muito a desejar.

O Galo começou bem o primeiro tempo, com duas chances claras de gol desperdiçadas por Giovanni Augusto, que jogava mais adiantado. Mas os minutos iniciais de maior ofensividade foram, aos poucos, dando lugar a muitos erros, tanto de passe quanto de posicionamento. Além da falta de mira de Giovanni, alguns jogadores mostraram um rendimento muito aquém, como Douglas Santos, Marcos Rocha e Luan.

Com a bola mais rápida, devido ao campo molhado, o jogo passou a ter muitas jogadas violentas, principalmente por parte dos donos da casa. O árbitro paulista Raphael Claus deixou correr e quase perdeu o controle, vendo a torcida do Joinville se enfurecer nas arquibancadas, após a anulação de um gol de Marcelinho Paraíba, que teria conduzido a bola com as mãos, nos instantes finais.

O técnico Paulo César Gusmão, que ainda não sofrido derrota em sua arena, foi expulso ao chutar uma garrafa, mas quem pareceu ter perdido a cabeça foi o Atlético, que não conseguia se fazer presente no ataque mais e se expunha demais na defesa, permitindo a fácil penetração dos atacantes adversários, especialmente com Kempes e Lucas Crispim.

No segundo tempo, a arbitragem continuou permitindo o jogo truculento, com Dátolo saindo de campo com a perna esquerda sangrando, sem qualquer punição para o volante Anselmo. A postura do Galo foi um pouco melhor e, e não tinha Giovanni para armar as jogadas, foi o atacante Lucas Pratto quem se aventurou na posição, driblando na entrada da área e tocando para Luan, aos sete minutos, chutar cruzado para gol.

O alívio não durou muito tempo. Apesar de o Atlético ter treinado bastante as bolas paradas na defesa, uma das principais armas do Joinville, após uma cobrança de escanteio de Marcelo Paraíba, o baixinho Kempes subiu sozinho para empatar, aos 16.

Poucos minutos depois de entrar no lugar de Pratto, Thiago Ribeiro voltou a botar o Galo na frente, aos 36, aproveitando cruzamento de Luan da direita. Não houve tempo para comemorar: um minuto depois, em outra jogada iniciada com bola parada, Willaim Popp chutou forte de fora da área, sem defesa para Victor.

Na próxima rodada, o Galo enfrenta o Coritiba, no sábado, na capital paranaense. No dia seguinte, o Joinville pega o Flamengo, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA
JOINVILLE 2 x 2 ATLÉTICO

JOINVILLE
Agenor, Edson Ratinho, Bruno Aguiar, Guti, Rogério, Anselmo, Kadu (Mário Sérgio), Lucas Crispim, Marcelinho Paraíba (Fernando Viana), Edigar Junior (William Popp) e Kempes
Técnico: PC Gusmão

ATLÉTICO
Victor, Marcos Rocha, Léo Silva, Jemerson, Douglas Silva, Leandro Donizete, Rafael Carioca (Josué), Giovanni Augusto, Dátolo (Carlos), Luan e Lucas Pratto (Thiago Ribeiro)
Técnico: Levir Culpi

GOLS: Luan, aos sete, Kempes, aos 16, Thiago Ribeiro, aos 36, William Popp, aos 37 minutos do segundo tempo
CARTÃO VERMELHO: PC Gusmão
CARTÕES AMARELOS: Bruno Aguiar, Rogério, Jemerson, Douglas Santos
PÚBLICO: 7.486 presentes
RENDA: R$ 102.335,00
LOCAL: Arena Joinville