O canto "Eu acredito" se tornou uma das marcas da torcida do Atlético nesta Copa Libertadores. No Mineirão, antes da final entre Atlético e Olímpia, o clima de confiança, embalado por este cântico, era enorme. Torcedores com faixa de campeão e camisas escrito "Yes, we C.A.M" apareciam aos montes.

Frederico Braga, de Uberlândia, exibia uma confiança fora do comum. O atleticano afirmou que comprou sua faixa de campeão do torneio continental há uma semana e não tem dúvida que ela será de grande valia.

"Comprei tem uma semana, por dois reais. Sabia que ia valorizar e comprei antes. Tenho certeza que vai ser campeão. (O Olímpia) fez só dois, é de boa, vamos fazer dois gols no primeiro tempo, mais dois no segundo. Galo!", comentou Frederico.

Já Luiz Gustavo de Souza, 22 anos, saiu de Divisa Nova com mais três amigos e é a primeira vez que acompanha uma partida no Mineirão. Escrito "Eu acredito" na cabeça e a faixa de campeão da Libertadores no peito, o jovem era só alegria horas antes de acompanhar o duelo continental.

"Somos de Divisa Nova, saimos de lá uma e meia da manhã, chegamos às 10h no Mineirão. Já almoçamos, demos uma volta na Lagoa e estamos confiantes. Primeira vez que eu venho no estádio, a gente mora tudo na roça. (risos). É hoje que a gente ganha o título. 3 a 0 no primeiro tempo. Vai ser show, Ronaldinho vai destruir tudo", afirmou Luiz Gustavo.

Fé e promessa

Já Otávio Ribeiro, de 20 anos, veio de um lugar improvável. O atleticano estava na China, trabalhando, há seis meses, e voltou ao Brasil apenas para acompanhar o seu clube na final da Libertadores. O jovem confiava na fé para ver seu time levantar o inédito caneco, fazendo até promessa caso o feito seja conquistado.

"Morei seis meses na China, vim para o Brasil só por causa da final da Libertadores. Este terço me acompanha desde o início da competiçao e estou confiante que ele vai ajudar a trazer o título. Se o Galo for campeão, eu vou pra Aparecida do Norte no dia 17 do mês que vem como promessa", disse.