O América tenta engrenar no returno da Série B do Campeonato Brasileiro. Por isso, terá que vencer a Chapecoense, nesta terça-feira (7), às 19h30, no Independência, pela 28ª rodada, e exorcizar o trauma que persegue o time na competição: o fraco desempenho em casa, com aproveitamento de 46,14% em 13 jogos.

Além disso, o Coelho não ganha em seus domínios há um mês: a última vitória foi sobre o Guaratinguetá, por 1 a 0, em 6 de setembro. Depois, foram dois empates, contra Palmeiras (1 a 1) e Avaí (0 a 0) e a derrota para o Icasa, por 2 a 1.

Coincidência ou não, a melhor sequência do América nesta Série B foi no turno, com quatro vitórias, três delas fora de casa, contra Palmeiras (1 a 0), Icasa (2 a 1) e Avaí (2 a 1). A outra foi diante do Oeste (4 a 3), em Nova Serrana.

Agora, a equipe, sob o comando do técnico Silas, acumula duas vitórias seguidas longe de seus domínios, diante de Paraná e Bragantino, ambas por 1 a 0.

E um triunfo hoje será importante para o Coelho continuar a arrancada rumo ao G-4. O América é o oitavo colocado, com 42 pontos, três a menos que o Paraná (45), o último da zona de acesso. Já a Chapecoense soma 52 pontos, em segundo lugar, muito perto de garantir o acesso à elite do futebol brasileiro.

Confiança

Apesar do fraco desempenho em casa, o técnico Silas aposta na força do grupo para conquistar a terceira vitória consecutiva. Ele não conta com o zagueiro Jaílton e o volante Andrei Girotto, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. César Lucena e Gualberto são opções para a zaga, enquanto Marcelo Rosa e Juninho brigam pelo posto no meio-campo.

Em compensação, o treinador terá o retorno do goleiro Matheus e do zagueiro Vitor Hugo, que cumpriram suspensão contra o Bragantino.

“Estamos tranquilos, porque todos os atletas que estão entrando têm dado conta do recado. Isso mostra a força do grupo, que cresceu ainda mais nesta reta final”, observa Silas.

Já a Chapecoense terá três desfalques: o lateral-direito Fabiano, o zagueiro André Paulino e o meia Neném, contundidos.