Cruzeiro

O ano começou diferente – e promissor – para Marco Antônio. Considerado uma joia a ser lapidada na Toca II, o meia iniciou como titular as duas partidas do Cruzeiro comandado por Paulo Pezzolano, que não poupou elogios ao habilidoso atleta.

"Marco Antônio é muito inteligente para jogar, tem muita qualidade. E nós temos que ajudá-lo a ver o jogo de forma mais fácil, onde se posicionar... Aí então, ele vai utilizar (melhor) a qualidade que tem”, destacou o treinador.

Nos 3 a 0 para cima da URT, o meia atuou por 56 minutos, e no 1 a 0 sobre o Athletic, mais 63, o que significa algo em torno de 60 minutos por partida.

Há dois motivos principais para Pezzolano não deixar Marco Antônio em campo até o fim dos duelos. Um deles é a observação a outros atletas do elenco. O outro, talvez o principal, o cuidado com a parte física do prata da casa.

“Ele vai melhorar cada vez mais o físico, precisa pegar mais intensidade, ficar mais 'fresco' na cabeça para jogar. Estamos ajudando nisso. Estou muito feliz, ele vai crescendo. Tem que dar tempo a esse tipo de jogador", declarou o uruguaio.

Em 2021, com outros treinadores à frente do elenco, o meio-campista já havia passado por trabalhos de fortalecimento muscular.

Até agora, o atleta soma 20 confrontos pelo Cruzeiro, sendo sete em 2020, 11 em 2021 e os dois neste início de temporada.

Leia mais:
Pezzolano se prepara para primeiro clássico pelo Cruzeiro e desafio de quebrar tabu
Flamenguista Éverton Ribeiro destaca torcida pela Raposa: ‘que o Cruzeirão volte à Série A’
Paulo Pezzolano aprova estreias de Rafael Cabral e Sidnei no Cruzeiro