Desde que retornou ao Cruzeiro, em sua terceira passagem pelo clube, Marcelo Moreno não conseguiu se firmar no time titular nem engatar uma sequência de boas atuações. A consequência foram médias de gols muito abaixo do esperado: 0,09 por jogo (três tentos em 32 embates) em 2020 e 0,27 por partida (seis bolas na rede em 22 duelos) em 2021.

Com a vinda de Paulo Pezzolano, surge uma nova expectativa em cima do atacante. Mas será que o atleta conseguirá reeditar as performances de quando defendia os celestes em 2007, 2008 e 2014? O treinador uruguaio espera que sim. Mas ressalta que depende do centroavante, convocado pela seleção boliviana, de dar essa resposta no dia a dia dos treinos e dos confrontos.

"Marcelo é um jogador de seleção, está agora na Bolívia. O temos no plantel, e quando chegar, será um a mais. Se estiver bem, vai jogar, senão, vai ficar no banco. Normal! É mais um jogador no elenco. Gosto dele. Vamos ver se precisa trabalhar fisicamente quando voltar. É um atleta importante", afirmou o comandante.

Cruzeiro

Moreno foi chamado pela seleção de seu país para as partidas diante da Venezuela, nesta sexta-feira (28), e do Chile, no dia 1º de fevereiro. Ele é o goleador das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo, com nove tentos.

Com a camisa do Cruzeiro, no retrospecto geral, soma 54 gols em 147 jogos, sendo o maior artilheiro estrangeiro da história da Raposa.

Leia mais:
Na véspera da estreia no Mineiro, quatro jogadores do Cruzeiro testam positivo para Covid-19
Na estreia pelo Cruzeiro, Pezzolano espera ver 'time intenso' em 'primeira final'
Cruzeiro chega a quase 30 mil sócios-torcedores; Ronaldo celebra e ‘pede mais’