Substituto de Diego Costa? Como deixou claro em sua entrevista de apresentação no Atlético, neste sábado (22), Fábio Gomes não tem essa pretensão. Porém, diz que não fugirá da responsabilidade de ser uma referência na área, quando acionado. Não apenas por vestir a camisa 9, mas, principalmente, por conta de suas características e da responsabilidade de defender o Galo.

"Eu não vim para substituir o Diego Costa, vim para ser um cara de grupo. Sabemos que a camisa 9 pesa, tem que ter total responsabilidade. Sempre joguei com a 9, me sinto muito bem ela. O Diego Costa ganhou tudo. E eu vim fazer meu nome, ajudar a equipe e dar alegria à torcida", disse.

E para fazer jus a uma camisa que um dia pertenceu a Reinaldo, Dadá, Marques e Diego Tardelli, entre outros, e que não foi utilizada por nenhum atleticano na campanha do título do Brasileirão e da Copa do Brasil de 2021, Gomes espera mostrar suas qualidades em prol do Atlético.

"Minha referência maior é minha velocidade. Sou um cara alto, mas sou muito rápido. Sei da minha característica. Sempre tive essa dedicação, de trabalhar bastante ao limite meu", afirmou.

Recepção

Desde o primeiro dia de pré-temporada na Cidade do Galo, iniciada na última segunda-feira (17), o atacante diz estar em casa. 

"O grupo é sensacional, não tenho nem o que falar, me recebeu muito bem. Quando você chega num time e é recebido muito bem, as coisas vão fluindo naturalmente. O 'Turco' então, o professor, mister, conversa muito com a gente, ajuda bastante. Quando você chega num clube como o Atlético, fica um pouco mais leve, e o futebol sai naturalmente. Espero fazer bastante sucesso aqui", comentou.

Leia mais:

Campeonato Mineiro 2022: confira quem e quantas vezes já foi campeão do Estadual
Campeonato Mineiro 2022: multicampeão em 2021, Atlético busca o tri estadual em sequência