O principal investidor do Atlético, Rubens Menin, falou abertamente sobre o processo de negociação com o treinador português Jorge Jesus, no início de 2022. Ele conta que o principal motivo para a interrupção das conversas foi a falta de tempo hábil para que o técnico resolvesse burocracias. 

"O Jorge Jesus tem um contrato com o Benfica ainda, que não foi desfeito completamente. O tempo dele não atendia ao tempo do Atlético. Não é que ele não tenha querido vir para o Atlético, não, ele até queria, tinha esse interesse. Mas o tempo dele não dava certo, porque nós precisávamos de um técnico para segunda-feira. A hora que ele não tinha esse tempo para ser dado ao Atlético, as negociações nem prosseguiram", explicou Rubens, em entrevista à Rádio Bandeirantes. 

Após a saída de Cuca, que alegou problemas familiares, o Mister passou a ser o técnico mais ventilado para comandar o time. No entanto, o investidor disse que houve muito mais especulação do que conversas com JJ: “A imprensa colocou coisas que na realidade foram imaginação".

Rubens ainda destacou a importância de o Galo iniciar a temporada com um técnico defino: “Ele (Jorge Jesus) tinha compromissos que tinha de resolver antes, e isso não ia casar com o nosso cronograma. Queremos um técnico para começar o trabalho. Ano passado o Cuca não começou, entrou no meio. É importante o técnico entrar no início. Então as negociações nem evoluíram com ele”.

Depois de Jorge Jesus, o Atlético tentou negociar com  Carlos Carvalhal, do Sporting de Braga, e com Eduardo Berizzo, ex-treinador da seleção do Paraguai. Porém, sem sucesso. 

Em 13 de janeiro, Antonio “El Turco” Mohamed, treinador argentino e conhecido no futebol mexicano, foi anunciado como novo técnico do Atlético na temporada 2022. Ele já está em Belo Horizonte e comanda treinos na Cidade do Galo.

Leia mais:

Atlético se posiciona contra restrição de público nos estádios; confira a nota oficial