América

Pela estrada ou pelo ar, por horas ou dias, o importante para torcedores americanos é estar em Assunção, no Paraguai, em 2 de março, para acompanhar o time que disputará a Libertadores pela primeira vez. Pela segunda fase, os jogos serão contra o Guaraní.

O gerente comercial Guilherme Rios, de 27 anos, está à frente de uma das maiores torcidas do Alviverde e organiza uma excursão para proporcionar a 139 torcedores, divididos em três ônibus, a experiência de atravessar a fronteira para prestigiar e apoiar o time. Ele conta que sempre promoveu essas ações de logísticas para ver o Coelho de perto e, frente à oportunidade de organizar uma caravana internacional, não pensou duas vezes. 

A saída está marcada para as 4h da manhã do dia 1º de março, e a chegada na capital paraguaia está prevista para as 13h do dia 2. A viagem terá duração de mais de trinta horas, mas ele afirma que isso não é um problema: ”escolhemos ônibus confortáveis para que possamos não só acompanhar a América, como também aproveitarmos e estarmos bem”.

Torcedor otimista e apaixonado, Guilherme aposta em uma vitória por 2 a 0 no primeiro jogo, no dia 23 de fevereiro, no Independência, e em outro bom resultado fora de casa. “Depois, lá em Assunção, é só fazer a manutenção do placar e segurar um empate. Ou então aproveitar um contra-ataque e sair na frente”, completa. 

Para quem considera a viagem uma loucura, ele tem uma resposta na ponta da língua. “Não é loucura, é a realização de um sonho que esperamos há muito tempo. O América está vivendo uma ascensão, e nós, da arquibancada, também estamos acompanhando. Agora não vão poder mais falar que o América não disputou um (torneio) continental. Sou muito dedicado ao clube, sou sócio torcedor, ativo, contribuo com o que posso, faço ações de todos os tipos”, diz.

Ele ainda conta que tinha a opção de ir de avião: “mas ir de caravana é uma experiência que quero viver”.

América

Guilherme está garantido para acompanhar o jogo no Paraguai

Pelo ar

E por falar em avião, quem também está se preparando para chegar à Assunção é o engenheiro Diogo Penna, de 27 anos. Com passagens compradas, ele, os pais, a esposa e os amigos já organizaram a viagem.

Mesmo sem ter a certeza do elenco que vai disputar a Libertadores, Diogo diz que "o importante é estar lá”.

Ele acompanha jogos desde que tinha um ano de idade e já viajou bastante para acompanhar o Coelho. “Agora que está na parte boa, não podemos deixar de ir. É algo histórico. Não só ver o jogo, mas viver isso com meu pai, que já é mais velho. É a primeira vez que veremos o América fora. Também quero viver  isso com minha esposa”, conta.

Embora o torcedor tenha estado presente em diversos momentos do Coelho, ele destaca classificação para a Pré-Libertadores como especial. “Quando constatei que o América estava classificado, foram só emoções. Passa um filme na cabeça, lembrando tudo que vivemos e chegamos onde a gente chegou hoje. Lembrei do meu padrinho que faleceu e se estivesse vivo iria (viajar para o Paraguai) também. Estamos ansiosos pelo futuro”, declara.

Para Diogo, a torcida vai apoiar bastante no Paraguai. “Vamos mostrar que a torcida está presente neste momento histórico do time e que confiamos neles (jogadores). E, se Deus quiser, a gente vai sair de lá vitorioso”, deseja.

América

Diogo, junto de sua família, também estão confirmados para acompanhar o América na Libertadores, em Assunção. 

Leia mais:
América anuncia renovação de contrato do volante Juninho Valoura
Salum diz que Zárate ‘mudou a cabeça do América’ e alimenta chance de renovar com o argentino