Nas duas últimas temporadas, o América atingiu marcas históricas, acompanhadas de premiações “gordas”. Em 2020, só na Copa do Brasil, o Alviverde angariou R$ 17,59 milhões por ter chegado às semifinais, obtendo sua melhor campanha no torneio. No ano seguinte, faturou R$ 25,16 milhões, por conta do oitavo lugar no Brasileirão (R$ 21,4 milhões) e por alcançar a terceira fase da competição mata-mata (R$ 3,76 milhões). E a expectativa da diretoria é a de que em 2022 os valores sejam ainda maiores.

Em entrevista ao Hoje em Dia, o coordenador de futebol clube-empresa do Coelho, Marcus Salum, frisou que o América “sempre traça um objetivo de premiação”, mas que prefere manter os valores em sigilo.

“Temos a segunda fase da Libertadores, com um valor, e provavelmente a terceira. Se Deus quiser, vamos para a fase de grupos ou a Sul-Americana. Na Copa do Brasil, já vamos entrar na terceira fase, projetando uma, duas ou três fases. E tem o Campeonato Brasileiro. Há um número (esperado de premiação) mais ou menos de cabeça. Temos metas mais auspiciosas”, destacou ele, fazendo uma ressalva.

“Mas isso não pode ser exposto no orçamento, porque seria irresponsável. Temos que trabalhar com algo mais lógico do que vai acontecer para não criar uma expectativa de receita e gastar sem ter o dinheiro. Porém, acho que podemos dar um salto de premiação neste ano”, enfatizou.

Ele ressaltou ainda que tudo passa pela montagem do elenco. “Temos condições para isso (ter premiações maiores em 2022), mas precisamos trabalhar muito para remontar o time, porque sofremos algumas baixas que estão nos preocupando”, disse.

Atletas importantes nos últimos anos para o Coelho não permanecerão para 2022, casos do zagueiro Eduardo Bauermann e do atacante Ademir. O América está no mercado à procura de reforços e buscando a renovação de vários de seus jogadores, como se deu com o lateral-direito Patric, o goleiro Cavichioli, o atacante Felipe Azevedo e o volante Juninho.

América

Libertadores

A maior novidade para o América em 2022 será sua primeira participação em uma competição sul-americana. O time vai enfrentar o Guaraní, do Paraguai, pela segunda fase da Copa Libertadores, e o Alviverde já garantiu US$ 500 mil (R$ 2,8 milhões) de premiação. Se avançar, fatura mais US$ 600 mil (R$ 3,4 milhões) pela presença na terceira etapa.

Leia  mais:
Conheça o Guaraní-PAR, primeiro adversário do América na Copa Libertadores
Após Salum indicar saída, Coelho afirma que segue em negociações pela renovação de Fabrício Daniel