O América já sabe quem será o seu adversário na estreia da Copa Libertadores. Sorteio realizado no início da tarde desta segunda-feira (20), na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai, definiu que o Coelho vai encarar o Guaraní-PAR na segunda fase do principal torneio da América do Sul.

A primeira partida do confronto será disputada em 23 de fevereiro, no Independência, e a volta em 2 de março, na capital paraguaia.

Caso supere o Guaraní-PAR, o Alviverde, debutante no campeonato, terá que passar por mais uma fase eliminatória para poder chegar a fase de grupos da competição. O segundo adversário será ou o Universitario, do Peru, ou o vencedor do duelo entre Montevideo City, do Uruguai, e Barcelona de Guayaquil, do Equador.

Se chegar à terceira etapa, o América terá garantido, no mínimo, uma vaga na Copa Sul-Americana. Entretanto, se for eliminado na segunda fase, ficará sem calendário internacional em 2022.

Outro time brasileiro que vai entrar na segunda fase da Libertadores, o Fluminense vai encarar o vencedor do confronto entre os colombianos Deportivo Cali e Millonarios, que disputam a última vaga da Colômbia para o torneio. Melhor ranqueado junto à Conmebol, o Tricolor das Laranjeiras decidirá em casa a classificação. (Veja abaixo todos os confrontos)

Primeira fase 

O sorteio realizado nesta segunda também definiu os cruzamentos da primeira fase da Libertadores: Montevideo City-URU x Barcelona de Guayquil-EQU, Deportivo Lara-VEN x Bolívar-BOL e Universidad César Vallejo-PER x Olímpia-PAR.

As outras equipes brasileiras classificas à Libertadores de 2022, já garantidas na fase de grupos, são: Atlético, Flamengo, Palmeiras, Corinthians, Fortaleza, Red Bull Bragantino e Athletico-PR.

O sorteio para a definição dos grupos será realizado posteriormente. 

Veja os outros confrontos da segunda fase da Libertadores: 

sorteio pré-libertadores

Leia Mais:​
Compra do Cruzeiro por Ronaldo repercute na imprensa internacional; confira publicações
Queda para Segunda Divisão e reforma de estádio marcam trajetória de Ronaldo à frente do Valladolid