O Atlético aderiu a um inovador sistema de criptomoedas, os Fan Tokens, e, em pouco tempo, já está tendo bom retorno. O nome da moeda é $GALO e já foram vendidas cerca de 850 mil unidades, revertendo mais de R$ 4 milhões em criptomoedas ao clube. Para os fanáticos por futebol, investir nesse negócio é uma maneira de participar mais ativamente do time, ganhar prêmios e descontos.

Em entrevista ao Hoje em Dia, o executivo em vendas Bruno Milanello explica o porquê de as criptomoedas terem se tornado uma “revolução” para o mundo esportivo. Considerando ainda o momento de pandemia, em que os jogos ficaram sem público, os Fan Tokens vieram para aproximar a torcida e gerar receita. 

O Atlético foi o primeiro a adotar a moeda no Brasil, seguido do Corinthians. Milanello projeta que esse é só o começo, ainda mais se comparado aos times da Europa, onde muitos já são adeptos dos FanTokens e conseguem abocanhar uma boa quantidade de renda.

Ao contrário do que muitos pensam, os Fan Tokens não funcionam como os Bitcoins. Eles estão no mesmo universo, mas funcionam de maneiras diferentes.

Os Fan Tokens são uma moeda de utilidade. Isso é, não há promessa de valorização pois o principal objetivo é dar ao torcedor a oportunidade de participar de forma mais ativa das decisões no clube: estilos de uniforme, layout do ônibus, música que tocará durante os treinamentos, entre outros. Seu valor é definido pela lei de oferta e procura e, por isso, os riscos são menores do que os Bitcoins.

Bruno diz que, mesmo assim, “é importante ressaltar e colocar as criptomoedas ativas, como os Fan Tokens, junto a outros investimentos”. A fala foi dita em relação a desinformação e mistificação em torno do assunto que muitas vezes afasta as pessoas desse negócio.

Quando questionado sobre a expectativa para o futuro desse mercado, Bruno é otimista: “Vamos conseguir alavancar! Temos muita capacidade e muitos clubes bons”. Ele também ressalta que no próximo ano, com a Copa do Mundo, a tendência é de que as Seleções tenham mais atividades dentro do mercado. 

Sobre a possibilidade das vendas de Fan Tokens nos times servirem como uma ajuda significativa nas dívidas e contas, afirma que “tudo depende da diretoria do clube, mas que, sim, os Fan Tokens são capazes de gerar receita”. 

Para quem quer entrar para o mercado de Fan Tokens

Sobre adquirir Fan Tokens, Milanello diz ser “super fácil”, " Com R$ 50 reais  e  questão de poucos minutos você abre’’. O portador de $GALO, por exemplo, precisa acessar a plataforma socios.com e se cadastrar. Depois, explica o executivo, é necessário estudar, se informar e estar atento. “Se envolva, comece pequeno e vá aprendendo. Só não dá para ficar de fora”.

Como um amante de esportes, ele completa: "Quem gosta muito de esporte, quer saber os detalhes, quando você começa a se engajar é um ciclo vicioso”.

Atlético