Muita gente dizia: “imagina a torcida vendo esse time do Galo dando show em campo”. Só que a recíproca era verdadeira: “imagina esse time do Galo vendo essa torcida dando show nas cadeiras do Mineirão”. Uma sintonia que não se perdeu, mesmo cerca de um ano e meio depois. E que, indubitavelmente, foi crucial para mais um feito histórico do Atlético: a classificação às semifinais da Libertadores 2021.

A vitória alvinegra sobre o River Plate, por 3 a 0, foi construída com quatro golaços: dois de Zaracho, um de Hulk e um da Massa, que, apesar de ocupar “apenas” 30% da capacidade do estádio, fez tanto barulho que parecia que o Gigante da Pampulha estava inteiramente tomado pelos torcedores.

Nas semifinais, o Atlético vai enfrentar o Palmeiras. Para chegar a essa fase, o Porco eliminou o São Paulo nas quartas, com empate em 1 a 1 e triunfo por 3 a 0. Será uma nova oportunidade para os torcedores voltarem a “fazer a diferença”. Mas mesmo em meio à festa, há de se salientar um fato negativo.

Grande parte da torcida, tanto fora, quanto dentro do estádio, não seguiu os protocolos de segurança, não respeitando o distanciamento e por várias vezes não usando máscaras. Situação que precisa ser revista pelas autoridades e, principalmente, pelos torcedores. Sobretudo em um cenário no qual, infelizmente, perdura uma pandemia: a Covid-19 matou mais de 570 mil pessoas no Brasil.

O jogo

Assim como se deu no segundo tempo do jogo de ida, no Monumental de Nuñez, o Galo engoliu o River Plate na partida de volta, no Mineirão. Com a vantagem conquistada na Argentina, após vitória por 1 a 0, com gol de Nacho, o Atlético não sentiu a falta de seu maestro, suspenso, e construiu um novo triunfo.

Sob os olhares de Diego Costa, presente no estádio, o Alvinegro abriu o placar com Zaracho, aos 21 minutos, e ampliou com Hulk, aos 33 no primeiro tempo. Na segunda etapa,  novamente Zaracho, aos 15, encerrou o espetáculo do Galo dentro de campo. Porém, nas cadeiras do Gigante, o show protagonizado pela Massa continuava.

Atlético

Hulk e Zaracho (duas vezes) comandaram o massacre alvinegro sobre o River

FICHA DO JOGO 

ATLÉTICO 3
Everson; Mariano (Guga), Nathan Silva, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Réver), Jair (Tchê Tchê) e Zaracho; Savarino, Eduardo Vargas e Hulk (Keno)
Técnico: Cuca

RIVER PLATE 0 
Armani; Casco, Díaz, Martínez e Maidana (Paradela); Angileri (Vigo), Zuculini (De La Cruz) e Enzo Fernández; Matías Suarez (Girotti), Julián Álvarez (Carrascal) e Brian Romero
Técnico: Marcelo Gallardo

DATA: 18 de agosto de 2021 (quarta-feira)
LOCAL: Mineirão
CIDADE: Belo Horizonte (MG)
MOTIVO: Jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores
ARBITRAGEM: Roberto Tobar, auxiliado por Christian Schiemman e Claudio Rios. Trio do Chile
VAR: Andrés Cunha (URU)
CARTÕES AMARELOS: Nathan Silva (Atlético); Casco, De La Cruz e Zuculini (River Plate)
GOLS: Zaracho, aos 21 minutos do primeiro tempo e aos 15 do segundo; Hulk, aos 33 minutos do primeiro tempo

Leia Mais:
Galo se torna o primeiro brasileiro a eliminar Boca Juniors e River Plate em uma mesma Libertadores
Nova contratação do Galo, atacante Diego Costa vai ao Mineirão acompanhar duelo com o River Plate
Mesmo sem ingresso, torcedoras vão ao Mineirão matar a saudade e reviver o clima de jogo