Nas 61 edições da Copa Libertadores, Argentina (25) e Brasil (20) ganharam juntos 45 títulos da competição, o que equivale a 74% do total.

Nas oitavas de final da competição em 2021, que terá o sorteio dos confrontos nesta terça-feira, cada país colocou seis clubes, o que corresponde a 75% do total. Os penetras nessa batalha que dificilmente deixará de ser entre brasileiros e argentinos são os paraguaios Cerro Porteño e Olimpia, o chileno Universidad Católica e o equatoriano Barcelona, único integrante do pote 1 que não pertence aos dois países.

Nas 20 edições disputadas neste século, a hegemonia de brasileiros e argentinos é ainda maior, uma vez que chega a 80% das taças, pois são 16 os títulos, com nove do Brasil e sete da Argentina. Quem conseguiu quebrar essa dobradinha foi o Olimpia, do Paraguai, em 2002; o Once Caldas, da Colômbia, em 2004; a LDU, do Equador, em 2008; e o Atlético Nacional, da Colômbia, em 2016.

Repeteco

Dentre os oito clubes brasileiros campeões da Copa Libertadores a partir de 2001, cinco estão nas oitavas de final de 2021. São eles: São Paulo (2005), Internacional (2006 e 2010), Atlético (2013), Flamengo (2019) e Palmeiras (2020). Apenas Santos (2011), Corinthians (2012) e Grêmio (2017) estão fora.

Na Argentina, quatro clubes foram responsáveis pelas sete taças. E o tricampeão Boca Juniors (2001, 2003 e 2007) e o bi River Plate (2015 e 2018) estão classificados. O Estudiantes, que levou a melhor sobre o Cruzeiro na decisão de 2009, e o San Lorenzo (2014) estão ausentes.

Atlético

O atacante Hulk foi destaque na fase de grupos da Libertadores, sendo eleito o melhor jogador em três das seis partidas disputadas pelo Atlético nessa etapa da competição