Apesar de salientar que faltou eficiência de sua equipe nas conclusões a gol tanto no primeiro quanto no segundo jogos das semifinais do Campeonato Mineiro, o técnico Felipe Conceição creditou a arbitragem como grande responsável pela eliminação do Cruzeiro para o América.

Em sua entrevista coletiva, após o triunfo do Alviverde por 3 a 1, no Independência, pela partida de volta, neste domingo (9), o comandante celeste criticou bastante as atuações do juiz Felipe Fernandes de Lima, dos auxiliares Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza e do árbitro de vídeo Emerson de Almeida Ferreira. 

“Vale a pena reclamar de arbitragem? Tem gente que reclama e se vê que dá resultado. Parece mais importante ter comportamento incorreto à beira de campo em vez de ser disciplinado. Enfim, o segundo pênalti bateu no sovaco; não sei se é pênalti, é outra pergunta que faço”, afirmou.

De acordo com Conceição, a arbitragem foi tendenciosa. “O adversário construiu muitas jogadas, muitas delas pelo juiz; o último gol foi com falta. (...) Jogo de chances para os dois lados, precisávamos dois gols de diferença. E o desequilíbrio foi a arbitragem, arrastou a partida no ritmo que o América gostaria”, disse.

Cruzeiro