América


Para o América, o jogo deste domingo (9), às 16h, contra o Cruzeiro, no Independência, significa voltar a uma final de Campeonato Mineiro após cinco anos. Para Felipe Azevedo, vale a possibilidade de disputar sua primeira decisão estadual pelo Coelho, depois de duas situações negativas.

"Em 2019, chegamos à semifinal e não conseguimos passar (pelo Cruzeiro). No ano passado, tive uma lesão séria e não participei do Mineiro, só voltando para a Série B (em 2020, o Coelho caiu nas semifinais para o Atlético). Significa muito para mim (avançar à final deste ano). Não sei se vou ter a oportunidade de jogar o Mineiro do ano que vem com o América. Acho que a equipe merece essa vaga na final, por tudo que fez, pelo crescimento e pela família que criamos aqui”, afirmou.

Levar a melhor sobre a Raposa representaria também mais um passo importante nesta evolução do Coelho, uma das equipes da elite nacional. 

“O América se mostra ainda mais forte no Estado. Estou empolgado, doido para chegar logo e entrar em campo, correr, me dedicar, ajudar os companheiros e conseguir essa vaga, que também é importante para a gente visando à Série A. Envolve muita coisa", disse ele.

E uma frase do atacante sintetiza, sob outra ótica, o quanto vale a vaga na decisão para ele: “O América é o clube que está no meu coração, clube que aprendi a torcer e a amar”.

Leia Mais:
Sem preferência por adversário na final, Cuca vai em busca de quarto título do Campeonato Mineiro
Cuca elege trinca ideal para o meio-campo do Atlético na temporada
Em busca de 3ª final do Mineiro, Sóbis assume responsabilidade de ser exemplo para o clássico