Não foi no grito, foi na bola. Após se envolver em uma polêmica com o técnico Cuca nos últimos dias, com direito a cobranças públicas por mais minutos em campo, o atacante Hulk brilhou na primeira vitória do Atlético na Copa Libertadores.

O camisa 7 deixou o banco de reservas para marcar os gols do triunfo do Galo por 2 a 1 sobre o América de Cali, da Colômbia, nesta terça-feira (27), no Mineirão, na segunda rodada do grupo H da principal competição do continente.

Acionado no intervalo no lugar de Vargas, o ex-atacante da seleção brasileira atuou em uma posição diferente da habitual, como centroavante, bem centralizado.

E a tentativa de Cuca surtiu efeito rapidamente. Aos 12 minutos Hulk recebeu passe de Nathan, invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Graterol. O árbitro prontamente marcou pênalti, convertido em seguida pelo próprio camisa 7.

Cinco minutos depois, após bela assistência de calcanhar de Savarino, Hulk ampliou para o Galo com uma finalização de chapa, no canto direito da meta do América.

A vantagem no placar fez jus ao desempenho do Atlético no jogo, especialmente na segunda metade do primeiro tempo, muito superior ao apresentado em suas últimas apresentações, o que havia aumentado a cobrança em torno do trabalho de Cuca. 

Entretanto, se ainda falta inspiração e uma certa dose de organização, o Galo mostrou muita intensidade e disposição no Gigante da Pampulha, criando várias chances de gol. O placar só não foi mais amplo justamente pela baixa eficiência da equipe nas finalizações.

Vacilo e susto

Quando a partida se encaminhava para um final sem sustos para o Alvinegro, o volante Tchê Tchê errou na saída de bola e viu Sánchez descontar para o time colombiano de fora da área.

O gol animou o América, até então inofensivo no ataque, que passou a levar perigo nos minutos finais, ameaçando o triunfo dos donos da casa. Com os vistantes esboçando uma pressão, os ânimos ficaram quentes nos minutos finais, com direito a expulsão de Nathan. 

Apesar dos sustos, o Atlético conseguiu segurar o resultado, fundamental para dar tranquilidade na sequência da temporada. 

A nota triste da partida foi a lesão do meia Zaracho. Melhor jogador do Galo no primeiro tempo, o argentino recebeu um pisão no tornozelo direito do zagueiro Igor Rabello, em uma disputa de bola antes de o relógio completar dez minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o Atlético, que havia iniciado a disputa com um empate em 1 a 1 com o Deportivo La Guaira, da Venezuela, fora de casa, chega aos quatro pontos e assume a liderança do grupo.

O América de Cali, por sua vez, sofreu o segundo revés no torneio - estreou com derrota para o Cerro Porteño-PAR, na Colômbia -, e ocupa a lanterna da chave. 

Nesta quarta, Cerro e La Guaira duelam às 19h15, no estádio Nueva Olla, em Assunção no complemento da segunda rodada. 

O próximo desafio do Galo na Libertadores será na próxima terça, às 19h15, diante do Cerro Porteño, novamente no Mineirão. Antes, o Atlético encara o Tombense, no próximo sábado, às 16h30, no Independência, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro.

A FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 2 X 1 AMÉRICA DE CALI

ATLÉTICO

Everson; Mariano, Igor Rabello, Alonso e Guilherme Arana; Tchê Tchê, Zaracho (Nathan) e Nacho Fernández (Marrony); Savarino (Dodô), Keno (Franco) e Vargas (Hulk). Técnico Cuca

AMÉRICA DE CALI

Graterol; Arrieta, Kevin Andrade, Ortiz e Héctor Quiñones; Carrascal (Sánchez), Luis Paz e Cabrera (Ureña); Vergara, Aldair Rodríguez (Cambindo) e Murillo (Moreno). Técnico Juan Cruz Real

DATA: 27 de abril de 2021 (terça-feira)

LOCAL: Mineirão

CIDADE: Belo Horizonte

MOTIVO: 2ª rodada do grupo H da Copa Libertadores

ARBITRAGEM: Daniel Fedorczuk, auxiliado por Richard Trinidad e Martin Soppi, todos uruguaios

CARTÕES AMARELOS: Junior Alonso, Alan Franco e Hulk (Atlético); Carrascal, Arrieta e Kevin Andrade (América de Cali)

CARTÃO VERMELHO: Nathan (Atlético)

GOLS: Hulk, aos 13 e aos 17 minutos do segundo tempo (Atlético); Sánchez, aos 31 minutos do segundo tempo (América de Cali)