Estão longe de serem zebras, pois aconteceram em dois clássicos estaduais e em duas partidas por competições internacionais, mas, de toda forma, a série de resultados surpreendentes na semana anterior ao início da fase de grupos da Copa Libertadores não deixa de ser uma grande lição para o Atlético, que integra a lista de favoritos de todos os torneios que disputará nesta temporada 2021.

Entre o domingo e a quinta-feira desta semana, quatro integrantes do grupo dos times de maior poderio técnico do futebol brasileiro sofreram derrotas que provocaram desconforto ou crise.

E essa história começa justamente com o Atlético. No último domingo, no jogo em que foi comemorado o centenário do clássico contra o Cruzeiro, válido pela nona rodada do Campeonato Mineiro, o time do técnico Cuca fracassou.

Apesar de o rival estar na Série B do Brasileiro e com um investimento muito inferior, venceu por 1 a 0.

Pior do que isso, teve uma estratégia de jogo mais eficiente e demonstrou mais determinação.

A fragilidade tática do time de Cuca e a falta de entrega de alguns jogadores preocuparam a torcida atleticana, e a pressão tem sido grande nas redes sociais durante toda a semana.

Atlético

O Atlético foi surpreendido pelo Cruzeiro no clássico do último domingo

A quadra de derrotas envolvendo os clubes de grande investimento foi fechada também num clássico estadual.

Na última quinta-feira, o Flamengo, atual campeão brasileiro e que no domingo venceu a Supercopa do Brasil diante do Palmeiras, nos pênaltis, foi derrotado pelo Vasco, que jogará a Série B em 2021, por 3 a 1, no Maracanã, em jogo válido pelo Campeonato Carioca.

Crise

Antes, na última quarta-feira, duas derrotas internacionais provocaram crises em gigantes.

A eliminação do Grêmio ainda na terceira fase da chamada pré-Libertadores decretou a queda do técnico Renato Gaúcho, que estava no comando do tricolor gaúcho desde setembro de 2016.

A perda da vaga na fase de grupos da Libertadores foi fruto da derrota por 2 a 1, de virada, para o Independiente del Valle, do Equador, em Porto Alegre, depois de o Grêmio ser derrotado pelo mesmo placar na ida, na semana passada, em Assunção.

O Palmeiras recebeu também na última quarta-feira, no Mané Garrincha, em Brasília, o Defensa & Justicia, da Argentina, com a vantagem de ter vencido a ida pela Recopa Sul-Americana por 2 a 1.

Saiu vencendo por 1 a 0, levou a virada e perdeu a taça nos pênaltis para um clube de investimento bem mais modesto, numa semana em que, pelo menos no futebol, valeu o ditado de que “dinheiro não traz felicidade”.