Cruzeiro e Atlético, que se enfrentam neste domingo (11), às 16h, no Mineirão, abrindo a semana em que o clássico entre eles completa 100 anos, chegam ao centenário do confronto vivendo momentos opostos. Enquanto os cruzeirenses, que são mandantes, vivem a maior crise da história, pois ela é financeira, política, institucional e técnica, pois o time está na Série B, os atleticanos, que também têm problemas relacionados a dívidas, têm um dos elencos mais poderosos do futebol brasileiro, graças aos investimentos de mecenas que têm investido forte na formação de uma grande equipe desde o ano passado.

O cenário é de total favoritismo atleticano para a partida da nona rodada do Módulo I do Campeonato Mineiro, que pode ser a única entre eles no ano do centenário do clássico. Nos outros anos de marcas redondas do confronto, muita coisa importante aconteceu, numa história que começa com a primeira final direta entre eles, conquistada pelo Atlético, mas por WO, pois ela não terminou, por causa de divergências, e termina com a goleada de 6 a 1 do Cruzeiro, que o salvou de um rebaixamento à Série B.

bola clássico centenárioClássico deste domingo terá bola especial pelo centenário do confronto no próximo dia 17

Confira a história do clássico nos anos em que ele completou de 10 a 90 anos:

1931 – 10 anos

7 jogos – 3 vitórias do Atlético – 1 empate – 3 vitórias do Cruzeiro

O principal fato
Palestra Itália (Cruzeiro) e Atlético fazem a primeira decisão direta entre eles valendo o título do Campeonato da Cidade (Mineiro), pois terminaram a edição de 1931 empatados com 14 pontos.
O primeiro jogo é no Barro Preto e tem vitória atleticana por 2 a 1, com arbitragem do carioca Virgílio Fedrighi. O segundo confronto seria no Estádio Antônio Carlos, em Lourdes, em 6 de dezembro, mas não aconteceu.
O acordo entre os clubes era de que a arbitragem seria do Rio de Janeiro, mas o Atlético não providenciou isso. Apresentou ao rival uma lista com três nomes de árbitros mineiros para que um deles fosse escolhido.
Os palestrinos, que eram tricampeões com as taças de 1928, 1929 e 1930, não aceitaram, e apesar de entrarem em campo, não aceitaram o início da partida.
A  Liga Mineira de Desportos Terrestres (LMDT) tentou remarcar o confronto, mas o Palestra Itália não aceitou. O Atlético é declarado vencedor por W.O. do segundo jogo decisivo, que seria em 6 de dezembro de 1931, e garante a taça.
O episódio provocou o rompimento entre os dois clubes. No ano seguinte, Palestra Itália, América e Villa Nova deixaram a LMDT e fundaram a Associação Mineira de Esportes Geraes (AMEG). Por isso, em 1932, Minas Gerais teve dois campeonatos.

atléticoO time do Atlético que conquistou o título do Campeonato da Cidade de 1931 em decisão direta contra o Cruzeiro

1941 – 20 anos

6 jogos – 2 vitórias do Atlético – 1 empate – 3 vitórias do Cruzeiro

O principal fato
O clássico, válido pelo Campeonato da Cidade (Mineiro) de 1941, em 27 de julho, no Estádio Antônio Carlos, em Lourdes, ganha do jornal Diário da Tarde uma comparação com o Fla-Flu, pois o confronto carioca seria disputado no mesmo dia no Rio de Janeiro.
Isso é prova de que desde o final dos anos 1930, Atlético e Cruzeiro já faziam o grande jogo de Belo Horizonte. O texto do jornal dizia ainda que era esperada uma grande renda no confronto, pois naquela época ainda não se tinha como preocupação registrar o público dos jogos.
O Atlético, que foi o campeão mineiro naquela temporada, venceu por 2 a 1, de virada, fazendo valer o mando de campo.

1951 – 30 anos

7 jogos – 5 vitórias do Atlético – 1 empate – 1 vitória do Cruzeiro

O principal fato
O clássico pela última rodada do returno Campeonato da Cidade (Mineiro) de 1951, disputado em 30 de dezembro, decide o adversário do Villa Nova, que tinha vencido o turno, na decisão.
O Atlético tinha dois pontos a mais (10 a 8) e precisava apenas de um empate para conquistar a etapa, mas fez mais do que isso. Venceu por 2 a 1 e garantiu presença na decisão contra o Leão do Bonfim.

1961 – 40 anos

9 jogos – 3 vitórias do Atlético – 4 empates – 2 vitórias do Cruzeiro

O principal fato
O Campeonato Mineiro de 1960 invadiu o ano seguinte. O Cruzeiro brigava pelo bicampeonato em sequência tendo o Siderúrgica, de Sabará, que foi vice, como seu maior concorrente. Em 22 de janeiro de 1961, um empate sem gols com o Atlético, no Independência, assegurou a taça, a primeira da sua história conquistada no Gigante do Horto.
Isso porque em 1956 dividiu o título com o Atlético, mas a conquista foi garantida apenas nos tribunais, e em 1959, a taça foi assegurada com uma vitória sobre o Democrata, de Sete Lagoas, no Estádio do Barro Preto.

cruzeiro, raposa, 1961, tupynambas

O Cruzeiro venceu o título mineiro de 1960 em 1961, temporada em que chegou ao tricampeonato estadual em sequência, no seu melhor momento na Era do Horto

1971 – 50 anos

4 jogos – 2 vitórias do Atlético – 2 empates – 0 vitória do Cruzeiro

O principal fato
Em 27 de junho é disputado o clássico pela última rodada do Campeonato Mineiro.  Um dia antes, o América tinha feito 3 a 2 no Uberlândia. Assim, precisava de pelo menos um empate do Cruzeiro diante do Atlético para ser campeão, pois os dois chegaram empatados à última rodada num campeonato por pontos corridos.
O título americano foi assegurado com a vitória atleticana por 1 a 0, com um gol de Tião.

1981 – 60 anos

4 jogos – 1 vitória do Atlético – 2 empates – 1 vitória do Cruzeiro

O principal fato
O Campeonato Mineiro tinha sido decidido quatro dias antes, com a vitória de 2 a 0 do Atlético sobre o Uberaba, no Mineirão, com gols de Toninho Cerezo e Reinaldo, pela penúltima rodada do hexagonal decisivo da competição.
O clássico da última rodada, em 29 de novembro, valia pela rivalidade e para a torcida atleticana fazer a festa. No início da partida, Éder deu uma entrada mais forte em Nelinho, que revidou no lance seguinte e foi expulso logo aos cinco minutos.
Revoltado, o lateral correu atrás do ponteiro atleticano para tentar uma agressão que foi impedida por policiais. Éder era presença certa na Seleção de Telê na Copa de 1982 e não queria se envolver em polêmicas.
Ainda na primeira etapa, o Galo abriu 2 a 0, com gols de Éder e Toninho Cerezo, com Eudes sendo expulso no final.
No segundo tempo, Zé Henrique também foi expulso, num clássico marcando por muitas confusões, com agressões e que teve o Cruzeiro terminando com oito jogadores em campo.

1991 – 70 anos

3 jogos – 2 vitórias do Atlético – 1 empate – 0 vitória do Cruzeiro

O principal fato
O Cruzeiro conquistou em 1991 a Supercopa dos Campeões da Libertadores. Quatro dias após garantir a taça com a goleada de 3 a 0 sobre o River Plate, da Argentina, no Mineirão, voltou ao Gigante da Pampulha para encarar o Atlético pelo clássico válido pelo hexagonal final do Campeonato Mineiro. O jogo seria em 10 de novembro, mas foi adiado em duas semanas por causa da participação cruzeirense na decisão internacional.
Quando foi jogado, os dois clubes ainda tinham chances de título, mas as cruzeirenses ficaram remotas com a derrota de 2 a 0, que para o atleticano teve um sabor especial, pois além de encaminhar a conquista do título estadual, serviu para carimbar a faixa do rival.

Atlético campeão mineiro 1991Na campaha do título mineiro de 1991, o Atlético venceu os dois clássicos contra o Cruzeiro

2001 – 80 anos

4 jogos – 0 vitória do Atlético – 3 empates – 1 vitória do Cruzeiro

O principal fato
Atlético e Cruzeiro disputam o primeiro mata-mata entre eles no século 21. Adversários numa das semifinais da Copa Sul-Minas, os dois clubes iniciam o confronto empatando por 1 a 1 no Ipatingão, em 28 de fevereiro, pois o Mineirão estava cedido na data para um festival de música.
A volta acontece no Gigante da Pampulha e o Atlético abre o placar, mas o Cruzeiro passeia em campo e vira o placar para 3 a 1 na sua caminhada para a conquista do título.

2011 – 90 anos

5 jogos – 2 vitórias do Atlético – 0 empate – 3 vitórias do Cruzeiro

O principal fato
O Cruzeiro, que já tinha conquistado o Campeonato Mineiro numa decisão direta contra o Atlético, a única jogada no interior, pois teve a Arena do Jacaré como palco, chega à última rodada do Brasileirão obrigado a vencer o clássico para não ser rebaixado à Série B pela primeira vez na sua história.
Faz muito mais do que isso. Depois de abrir 4 a 0 ainda no primeiro tempo, goleia o Atlético por 6 a 1, em 4 de dezembro, também em Sete Lagoas, e alcança seu maior placar sobre o rival no confronto.

Em 2011, Cruzeiro goleia o rival Atlético e escapa do rebaixamento para segunda divisãoLeandro Guerreiro comemora o seu gol na goleada por 6 a 1 sobre o Atlético em 2011