O bicampeonato consecutivo da Copa do Brasil, conquistado no dia 17 de outubro de 2018, após vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, marcou não apenas mais uma página histórica dos 100 anos da Raposa, mas também a consagração de uma dupla de volantes.

Pilares do time comandado pelo técnico Mano Menezes, Henrique e Ariel Cabral comandaram o meio-campo do time celeste nas conquistas.

O primeiro, soberano nos dois anos, aumentando ainda mais o número de títulos importantes na equipe celeste, que já contava com o bicampeonato do Brasileirão, em 2013 e 2014.

Já o argentino, de fora da semifinal e da final de 2017, em razão de uma lesão no tornozelo esquerdo, retomou um lugar no time titular na campanha do hexacampeonato.

Entretanto, quase 30 meses após o triunfo na Neo Química Arena, a dupla vive um momento de pouco prestígio no Cruzeiro.

Henrique

Oitavo jogador que mais atuou pelo Cruzeiro, com 524 jogos, e com nove troféus com a camisa estrelada, Henrique não atua desde o dia 8 de outubro de 2020, em razão de uma lesão na cartilagem do joelho direito.

Em fevereiro, o meio-campo passou por uma cirurgia no local, e não teve um prazo para retorno aos gramados divulgado. 

O jogador de 35 anos deixou a Raposa no início de 2020, logo após o rebaixamento à Série B, por empréstimo rumo ao Fluminense.

Seis meses depois, retornou ao time celeste para a disputa da Série B. Com atuações ruins, assim como a maior parte do time, que fez campanha fraca no torneio, Henrique foi criticado por parte da torcida, que também o vê como um dos responsáveis pela queda no Brasileiro.

Com contrato com a Raposa até dezembro de 2021, o ex-capitão tem futuro incerto na Toca da Raposa II.

Ariel Cabral

Também com vínculo com o Cruzeiro até o final da temporada, Ariel Cabral realiza exames para se reapresentar ao time celeste, após um período de empréstimo ao Goiás.

Com 188 jogos pelo clube estrelado, o argentino também não conseguiu apresentar um bom futebol nos últimos meses.

Após tentar sem sucesso uma transferência para o futebol argentino no primeiro semestre do ano passado, Ariel foi reintegrado ao elenco celeste para a disputa do Brasileiro.

Com atuações discretas e também cobrado por parte da torcida, foi cedido ao Esmeraldino, onde atuou por 20 jogos, sendo rebaixado pela segunda temporada consecutiva à Série B.

De volta à Toca da Raposa II, ficará à disposição do técnico Felipe Conceição, que vai avaliar se pretende contar com seus serviços na sequência da temporada.

Atualmente, o Cruzeiro conta com Adriano, Matheus Neris, Matheus Barbosa, Jadson, Lucas Ventura e com o recém-chegado Rômulo para a atuar na função de volante.  

Outra questão envolvendo Henrique e Cabral neste momento é a parte financeira. Com vencimentos acima do teto de R$150 mil, estipulado pela diretoria do clube estrelado no ano passado, a dupla, assim como outros companheiros do elenco, acertaram a repactuação salarial, em que vão receber essa diferença de forma parcelada, posteriormente.