Um episódio negativo envolveu o técnico do time feminino do Cruzeiro, Marcelo Frigério, detido pela Polícia Militar (PM), na última sexta-feira (12). Após descatar Thais Rubia Duque Cunha Chagas, coordenadora da Vigilância de Saúde de Juatuba, na Grande BH, onde o time treinava naquele dia, durante fiscalização da Covid-19, ele foi levado a uma delegacia.

A atividade no estádio Curumim não poderia ser realizada com mais de 33 pessoas, de acordo com decreto da prefeitura, como medida de combate ao novo coronavírus. Mas, segundo a equipe de vigilância, como registrado pela corporação, o Cruzeiro não respeitou essa norma.

O treinador da Raposa, segundo consta no boletim de ocorrência, proferiu palavras de "baixo calão" e mandou Thais pegar "a caneta e enfiar no **". 

O técnico se defende afirmando que não havia mais de 33 pessoas treianando no momento, pois direcionou o excedente para um prédio anexo. E disse que ouviu "uma voz alterada de uma mulher".

Frigério foi liberado em seguida. O Cruzeiro ficou de emitir uma nota sobre o ocorrido, na manhã desta segunda (15).

Leia Mais:
Novo coronavírus já contaminou quase 975 mil pessoas em Minas; mais de 20.600 morreram
PM interrompe festa 'familiar' em condomínio de luxo em Nova Lima, na Grande BH
Preparados para o pior: transferência de bens motivada por medo da morte dispara em BH na pandemia