Com contrato até dezembro de 2021 com o Cruzeiro, o centroavante Sassá está perto de ser cedido ao Marítimo-POR, justamente até o fim de seu vínculo com o clube estrelado. A oficialização da cessão ao time lusitano será o último capítulo de uma história que teve capítulos de conquista, carinho e decepção com a camisa celeste.

A informação da negociação da equipe portuguesa com o atacante foi publicada inicialmente pela Itatiaia e confirmada pelo Hoje em Dia, com o agente do jogador. 

Chegada, polêmicas e títulos

Em junho de 2017, o Cruzeiro acertou a contratação do atacante Sassá, um dos principais jogadores do Botafogo na época. Antes mesmo da oficialização do acerto, o atleta publicou uma foto nas redes sociais, em que aparecia fazendo uma provocação ao Atlético, maior rival da Raposa, em um episódio que deixava claro seu perfil irreverente, muitas vezes polêmico. 

Na chegada a Belo Horizonte, Sassá rapidamente caiu nas graças do torcedor celeste, mesmo sem nunca ter conseguido se firmar no time titular. A disposição e a maneira incisiva nas jogadas ofensivas fizeram com que o nome do atacante fosse pedido pela China Azul na maioria dos duelos no Mineirão.

Entretanto, assim como a equipe, que viveu momentos de glória com o bicampeonato da Copa do Brasil (2017 e 2018) e do Campeonato Mineiro (2018 e 2019) o centroavante caiu de rendimento e fez parte do plantel que foi rebaixado à Série B, em 2019.

Na campanha do título da Copa do Brasil de 2018, inclusive, Sassá ficou marcado por uma briga com o lateral-direito Mayke, no jogo de volta das semifinais. No confronto em questão, durante uma confusão generalizada, o camisa 99 acertou um soco no rosto do atleta do Verdão, o que lhe rendeu nove partidas de suspensão. 

cruzeiro, raposa, palmeiras, mayke, sassá. briga

Retorno frustrado

Com o Cruzeiro vivendo a maior crise financeira de sua história, Sassá, que tem direito a receber um salário acima do teto de R$150 mil estipulado pela diretoria celeste, foi emprestado ao Coritiba. Sem sucesso no Coxa, se envolveu em mais uma polêmica, sendo dispensado por justa causa pelo Alviverde, em setembro.

Na ocasião, a diretoria do clube paranaense afirmou que tomou tal medida, após o jogador ter sido flagrado em uma festa, com aglomeração, durante o momento de pandemia. Dias depois, Sassá foi reintegrado ao elenco do Cruzeiro, então comandado pelo técnico Ney Franco.

O momento ruim da Raposa, que estava no Z-4 da Série B, aliado à impossibilidade de o clube estrelado inscrever novos jogadores naquele momento, em razão de uma punição da Fifa, foram preponderantes para a nova oportunidade dada ao camisa 99.

Como já tinha contrato vigente com o clube estrelado, Sassá estava apto a atuar novamente com a camisa celeste. Entretanto, mesmo com chances com Ney e Felipão, o jogador não conseguiu espaço na equipe durante a competição. Com 11 confrontos disputados, nenhum gol e atuações discretas, Sassá passou a ter cada vez mais minutos na reta final do Brasileiro.

Agora, após sanar as pendências financeiras com a Raposa, a expectativa é de que o centroavante seja anunciado pelo Marítimo-POR, encerrando assim, uma passagem que começou cercada de expectativa e terminou com pouco brilho.