O apelido de “Rambo”, tantas vezes entoado pelo narrador Alberto Rodrigues, da Rádio Itatiaia, se encaixava como uma luva. Guerreiro, incansável em campo e capaz de concluir as mais árduas tarefas, Ricardo Goulart ‘tomou’ de Everton Ribeiro a condição de maestro celeste. Se em 2013, o camisa 17 é quem regia a orquestra cruzeirense rumo ao título do Brasileiro, em 2014 a batuta ficou a cargo do paulista de São José dos Campos.

A chegada à Raposa foi precedida por uma polêmica. No fim de 2012, o então técnico do Atlético, Cuca, disse que o Galo chegaria a um acordo com o então atleta do Goiás. E o meia-atacante realmente esteve perto de vestir a camisa alvinegra. Era o prólogo de uma novela nos bastidores cujo capítulo final foi a apresentação de Goulart como mais novo reforço estrelado.

Cruzeiro

O começo de trajetória no Cruzeiro, porém, não foi dos melhores, com o armador tendo que se contentar com a reserva em várias ocasiões. No decorrer da temporada 2013, porém, a coisa mudou, e o “Rambo” passou a figurar entre os principais atletas do time campeão nacional daquele ano. Mas o melhor ainda estava por vir.

Em um 2014 quase perfeito, com direito aos títulos do Mineiro e do Campeonato Brasileiro, ele faturou ainda a Bola de Ouro da Placar, dado ao melhor jogador da Série A.

Ao todo, soma 106 partidas e 38 gols pelos celestes, que o tornaram uma célebre figura do clube na década passada. 

Cruzeiro

A FICHA DO CRAQUE
NOME
: Ricardo Goulart Pereira
NASCIMENTO: 5 de junho de 1991
LOCAL: São José dos Campos (SP)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 27 de janeiro de 2013 – Cruzeiro 4 x 1 Mamoré – Amistoso – Patos de Minas
PERÍODO NO CRUZEIRO: 2013 e 2014
GOLS: 38
JOGOS: 106
TÍTULOS: Campeonato Brasileiro (2013 e 2014); Campeonato Mineiro (2014)
OUTROS CLUBES: Santo André (SP), Internacional, Goiás, Guangzhou Evergrande (China), Palmeiras e Hebei China Fortune (China)
NA SELEÇÃO BRASILEIRA (jogos oficiais)
ESTREIA: 9 de setembro de 2014 – Brasil 1 x 0 Colômbia – Amistoso – Miami (Estados Unidos)
GOL: 0
JOGO: 1