Para afastar a ameaça de rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série B, a direção do Juventude decidiu apostar no técnico Luiz Carlos Wink. Ele foi escolhido para o lugar de Julinho Camargo, demitido após o empate sem gols com o Boa, sábado à noite, pela 23.ª rodada, no estádio Alfredo Jaconi.

O acordo foi fechado no domingo, (26), à noite e confirmado pelo vice-presidente Jones Biglia. Winck chega ao clube com contrato assinado até novembro, tendo Zé Carlos como seu auxiliar. Ele será apresentado oficialmente na tarde desta segunda-feira, (27).

O curioso é que o último clube dirigido por Winck foi o rival do Juventude: o Caxias. Ele estava no clube desde novembro de 2017, ficando até julho, deixando para trás um retrospecto de 49 jogos, 24 vitórias, 16 empates e nove derrotas. Mas o clube foi eliminado nas quartas de final do Campeonato Gaúcho e no Campeonato Brasileiro da Série D.

O novo técnico do Juventude deve ter muito trabalho. O time não vence há seis jogos. O alvo principal de cobranças vinha sendo Julinho Camargo. No último jogo, um grupo de torcedores ironizou a própria fragilidade ofensiva do time, apontando com setas para as traves, como se mostrasse onde a bola deveria entrar.

O time gaúcho acumulou 12 empates e está na 13.ª posição na Série B, com 27 pontos, apenas dois à frente do Brasil de Pelotas, primeiro clube na zona de rebaixamento. O seu próximo jogo vai ser contra o Paysandu, sexta-feira, (31), às 19h15, na Curuzu, em Belém.


 

Leia mais:
Cristiano Ronaldo não marca, mas Juventus vence Lazio pelo Italiano
Treinador diz que Vinicius Junior pode fazer algumas partidas pelo Real Madrid B
Turim recebe Cristiano Ronaldo, Ancelotti enfrenta 'seu' Milan