Em evidência pela frequente utilização na Copa do Mundo da Rússia, o VAR (do inglês Video Assistant Referee) está cada vez mais próximo de ser implementado no futebol brasileiro.

Em parceria com a Escola Nacional de Arbitragem do Futebol (ENAF), a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deu início ao 2º Curso de Capacitação para Árbitros Assistentes de Vídeo no último dia 18 de junho, em Águas de Lindóia, em São Paulo.

Durante os 20 dias de atividades, 32 árbitros e assistentes do quadro de elite da CBF, incluindo os mineiros Ricardo Marques e Guilherme Camilo, fazem parte do aprofundamento, junto aos instrutores de arbitragem, responsáveis pela capacitação dos profissionais.

Milton Otaviano, instrutor da CBF, destaca a importância da qualificação dos árbitros, e aproveita para dar detalhes de como o processo vem sendo realizado.

“Colocamos os árbitros para treinar na sala de vídeo para que ele possa treinar o controle das telas e, aí, solicitar a revisão das situações que acontecem em campo. Posteriormente, fomos ao campo com simulações de jogo. Levamos uma equipe de arbitragem para que fosse verificada pelo árbitro de vídeo na sala. Com isso, vamos adaptando cada um ao seu local de trabalho para que o árbitro de vídeo possa rever as situações conforme o protocolo atualizado da FIFA”.

Otaviano também revela que o VAR está próximo de ser implementado nas competições realizadas pela Confederação Brasileira de Futebol.

“Estamos passando aqui cerca de oito dias, revendo tudo, treinando jogadas, ensaiando, revisando, checando... Então, temos que fazer um grande trabalho, bem minucioso, porque logo será implementado no Brasil. Tem que ser um trabalho de excelência porque brasileiro exige um futebol de excelência “, completa.

VAR

O árbitro assistente, outro termo utilizado para fazer referência ao VAR foi criado com o intuito de minimizar os erros de arbitragem cometido pelos árbitros durantes as partidas.

A equipe de VAR da FIFA consiste em um segundo quarteto de árbitros, que trabalham em uma central de monitores acompanhando o jogo em outra perspectiva. Aliadas aos valiosos recursos do zoom e de replay, as imagens recebidas pelos árbitros de vídeo são justamente as encaminhadas às centrais das emissoras que transmitem o jogo ao vivo.