O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schimit, disse nesta terça-feira (23) que apresentará denúncia contra o Atlético por causa dos protestos da torcida contra a arbitragem e contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no último domingo, no estádio Independência, em Belo Horizonte, na partida contra o Fluminense.

"Esta manifestação levantou a hipótese que existe corrupção na CBF. Não vou defender que tenha absolvição ou condenação, mas a corregedoria tem de levar para o conhecimento do Tribunal", afirmou Schimitt em entrevista à ESPN Brasil.

Parte da torcida alvinegra que foi assistir à partida contra o Fluminense usou nariz de palhaço, levou cartazes com frases questionando o trabalho dos árbitros e até apresentou um mosaico com as cores do time carioca no qual havia a palavra CBF, de ponta cabeça, ao invés das iniciais do clube das Laranjeiras.

"Agora tem esse caso do Atlético que está causando polêmica, mas não é uma coisa que a gente esteja fazendo de forma direcionada ou sem critério. É cumprindo rigorosamente o que tem na lei", continuou Schimitt, explicando os motivos pelos quais apresentará a denúncia.

A torcida atleticana também entoou o grito "vergonha" após o árbitro baiano Jailson Macedo Freitas anular o gol de falta anotado por Ronaldinho Gaúcho no primeiro tempo. O juiz não relatou na súmula da partida nenhum incidente relacionado à torcida.