O presidente Gilvan de Pinho Tavares esteve presente na apresentação de Lucas Silva, novo reforço cruzeirense para temporada. Além de elogiar a Diretoria celeste pela contratação, classificado como um 'negócio de ocasião', o dirigente aproveitou a oportunidade para esclarecer algumas situações que envolvem o clube celeste. O presidente falou da dívida por Ramón Ábila, se mostrou satisfeito com a montagem do elenco celeste para a temporada e também comentou a situação do colombiano Riascos.

Ramon Ábila

Na última quinta-feira (2), o jornal argentino Olé, publicou uma nota na qual o presidente do Huracán, Alejandro Nadur, que iria pedir a devolução do atleta caso a dívida de 1 milhão e 500 mil dólares não fosse paga. O presidente negou essa possibilidade e disse não entender a postura do dirigente argentino.

"Eu não estou entendendo a posição do presidente do Huracan. Já conversei com ele, foi tudo acertado e nós estamos na mesma situação dele. Temos que receber dinheiro de vários clubes e houve atraso nos pagamentos ao Cruzeiro. Já haviamos conversado com ele (Nadur) sobre esse problema, avisamos e por meio de amigos em comum, tentamos tranquilizá-lo. Mas, nos disseram, que ele está apertado, pois vai entregar o mandato agora. Nós vamos repassar o dinheiro que recebermos de um clube para pagar as contas com ele. Eu não o conheço pessoalmente, mas segundo me disseram é um sujeito apavorado, que leva as coisas desse tipo, mas já mandei informar que o dinheiro dele já está chegando".

Elenco

"O futebol é uma coisa interessante. Cansei de falar isso mas pouca gente me dava ouvidos. Se vocês pararem pra pensar, na partida de quarta (1), contra o nosso maior rival, como titular, de diferente, tem só o Diogo Barbosa. O Hudson entrou no segundo tempo no lugar do Henrique que levou um tostão na coxa, mas foi só. Os outros atletas já estavam aí. O que faltava era exatamente esse entrosamento que o Mano, ao retornar, deu ao time e já estava dando no final de 2016. O Cruzeiro voltou a ser aquele time competitivo, com boas vitórias. Eu já sabia que o time era bom, o elenco era bom, mas a gente tinha que reforçar porque é meu último ano a frente do Cruzeiro, as outras equipes estavam se reforçando e a gente não podia deixar por menos. 

O Cruzeiro tem boas peças de reposições para todas as posições. Alguns até com sobra, como o caso do meio-campo, mas é um setor que exige mais dos atletas. Na zaga estamos bem servidos e eu quero lembrar que estamos aguardando o retorno do Dedé. Temos o Mayke que está retornando também e luta pela titularidade. Nos outros setores estamos bem servidos, temos muitas competições, são cinco e jogos um atrás do outro. Quando começar agora a Sul-Americana, Copa do Brasil e Brasileiro o tempo vai ser muito curto. Vai ter semana de três partidas, então é preciso ter muitas peças de cada posição."

Riascos

Recentemente, o atacante colombiano, que trava batalha judicial contra o Cruzeiro para liberação do contrato e poder atuar por outra equipe, foi sondado pelo Millonarios, da Colômbia. O presidente do Cruzeiro disse que esse não é o único clube interessado no jogador e que o acerto com o clube da terra natal do atacante é complicado.

"Eu acho muito difícil resolver a situação do Riascos com o Millonarios. Eles tem todo o interesse, mas não querem pagar nada pelo empréstimo. O atleta teve um custo alto pro Cruzeiro e não vamos liberá-lo de graça. Temos outras sondagens de clubes, até aqui do Brasil, sobre o jogador. Clubes até que estão dispostos a pagar para ter o jogador. Então, se o clube tem a possibilidade de reaver valores, não vamos deixá-lo sair sem custos".

*Colaborou Leonardo Parrela