Na noite desta terça-feira (7), o Cruzeiro finalmente recebeu uma boa notícia. O técnico português Paulo Bento foi absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e está liberado para comandar o Cruzeiro no clássico contra o Atlético, no Próximo domingo (12).

No julgamento o treinador recebeu apenas uma advertência do tribunal e não terá que cumprir qualquer outra pena que um jogo de suspensão, já cumprido na derrota por 1 a 0 contra o São Paulo, no último domingo (5) no Mineirão.

Paulo Bento foi julgado pela expulsão no empate em 1 a 1 com o América, no dia 28 de maio. O técnico cruzeirense e o ex-treinador do América, Givanildo Oliveira, se desentenderam nos minutos finais do duelo disputada no Mineirão.

A confusão foi iniciada após o comandante da Raposa mandar os jogadores darem sequência à partida depois de um adversário americano ter chutado a bola para fora, visando ao atendimento médico do meia Rafael Bastos, situação que já havia se repetido outras vezes.

Enquadrados no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), o treinador celeste corria risco de ficar suspenso por até seis jogos, mas acabou pegando a pena mínima.

Curiosamente, em 1° de junho, o Cruzeiro conseguiu sua única vitória no Campeonato Brasileiro justamente sem a presença do técnico português no banco de reservas. Comandada naquele dia pelo auxiliar técnico Ricardo Peres, a equipe bateu o Botafogo por 1 a 0, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.