Ter sido um pedido do presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho, parece ter feito bem para o ego e para a confiança do atacante Rafael Silva. Contratado junto ao Vasco no início da temporada, ele já balançou as redes cinco vezes, em nove jogos com a camisa celeste. Domingo (27), às 11, o atacante terá a missão de balançar as redes contra o Atlético, maior rival da Raposa. Esta responsabilidade, porém, parece não assustá-lo.

“Eu deixo para cair a ficha que é um clássico no dia do jogo. Tem gente que fica preocupado na semana. Eu deixo para o dia, vem o friozinho na barriga. É lá dentro que se resolve”, comenta Silva.

Sobre o horário do clássico, válido pela nona rodada do Campeonato Mineiro, Rafael brinca e relembra os tempos de criança, quando não tinha hora certa para estar com a bolas nos pés.

“Tranquilo. Quando era moleque, qualquer hora era hora de jogar bola. Jogava na chuva, de noite, de madrugada. Na hora do jogo ninguém vai lembrar disso. A gente já vem treinando neste horário. Não muda muita coisa. O que deve mudar é esse calor, mais intenso. Mas estamos preparados”, observa o centroavante.

Enquanto a Raposa é líder do Mineiro, com 20 pontos, o Galo, mandante do duelo no Horto, é o vice-líder, com três a menos.