Residente em cirurgia vascular e médica de urgência, Ana Carolina Daré, de 36 anos, é uma especialista em salvar vidas. Costuma passar até 12 horas dentro do bloco cirúrgico, onde a tensão é constante e não é permitido errar. Tudo para renovar a chance de vida de seus pacientes.

Mas, entre um procedimento e outro, ela cuida da própria saúde. Virou especialista em meia-maratonas e quer dar a volta ao mundo para participar de competições nos cinco continentes.

A bela cidade francesa de Versalhes, nos arredores de Paris, deve ser a primeira parada ainda neste ano.

“A vida na área da saúde é muito corrida e estressante. O esporte é minha válvula de escape. É um momento que é só meu, que eu não tenho que compartilhar com ninguém. A endorfina me ajuda a resolver metade dos problemas, além de me relaxar muito. Aí eu volto leve para casa, desestressada para enfrentar os problemas normais da vida”, explica a médica.

Como se foca nas corridas de longas distâncias, ela ainda arruma tempo entre os plantões para fazer acompanhamento com fisioterapeuta, nutricionista e reforço muscular.

“Além da corrida, eu faço musculação praticamente todos os dias. Tento encaixar os meus horários de plantão, mesmo com cargas de trabalho às vezes de até 120 horas por semana. O tempo é a gente que faz, não podemos usá-lo como desculpa para não praticar alguma atividade física”, completa.

Para conseguir treinar com a frequência que deseja, a médica, que trabalha em quatro lugares, dá uma dica importante:

“Sou apaixonada pela minha profissão e por esportes. Tenho que conciliar as duas coisas. Então, tenho sempre uma malinha no carro com meu tênis, um fone de ouvido, um frequencímetro e algumas barrinhas de cereais. É tudo que eu preciso”.

Boa forma

Além de aliviar o estresse e melhorar o condicionamento cardiovascular, Ana Carolina também utiliza o esporte para manter a forma física. “Essa também é uma parte importantíssima do esporte. Toda mulher gosta de estar bonita. Sou vaidosa, mas também nada exagerado. O esporte me ajuda a estar sempre em forma”, assume a doutora, que mede 1,72 m e pesa 58 quilos.

Moradora do Bairro Itapoã, na Região Norte, Ana Carolina costuma correr com maior frequência na Lagoa da Pampulha.

De alma renovada, é hora de voltar para casa e por em prática o segundo hobby. “Amo cozinhar e receber os amigos em casa. Nada melhor que fazer isso para repor as energias”, diz a médica, que dá preferência aos pratos mais ligths.

“Até criei um mix de funghi com redução de vinho branco e grana padano com salmão ao mel, que são perfeitos”, ensina.