O pugilista filipino Manny Pacquiao, candidato ao Senado, citou nesta sexta-feira (19) a Bíblia para justificar suas polêmicas palavras homofóbicas, que custaram a perda de um contrato com a marca esportiva Nike.

A Nike chamou na quarta-feira de "abjetas" as declarações do campeão de boxe, que comparou os homossexuais aos animais.

Manny Pacquiao, que chegou a pedir desculpas, afirmou nesta sexta-feira que não pretende rebaixar-se ante os críticos.

"O que digo é verdade. Me limito a dizer a verdade, o que diz a Bíblia", declarou o boxeador após um treinamento em General Santos, sul das Filipinas.

De formação católica, como 80% dos filipinos, Pacquiao se converteu ao evangelismo no início de 2010, assegurando ter sido escolhido por Deus para difundir a mensagem de Cristo.

O atleta faz campanha para o Senado com Bíblia na mão, em uma linha ultraconservadora. As eleições estão marcadas para maio.

Em uma entrevista ao canal filipino TV5 exibida na segunda-feira, Pacquiao disse: "É o bom senso. Já viram os animais se acasalar com animais do mesmo sexo? Os animais são melhores, já que diferenciam entre machos e fêmeas", declarou o boxeador.

"Os homens que se acasalam com homens e as mulheres que se acasalam com mulheres são piores que os animais", completou.

"O meu erro foi comparar as pessoas aos animais, mas vocês sabem que estou falando a verdade", declarou nesta sexta-feira.