O que os norte-americanos chamam de "Farewell Tour", ou seja, o tour de despedida, tem mais um capítulo neste domingo, às 23 horas (de Brasília), no Air Canada Centre, em Toronto. Kobe Bryant disputará o All-Star Game pela última vez. A partida entre os times das Conferências Leste e Oeste promete ser mais um momento especial para o astro do Los Angeles Lakers, que desde 29 de novembro, quando anunciou que iria se aposentar ao fim da temporada, tem vivido intensamente os instantes derradeiros em quadra.

Os fãs vão lotar o ginásio do Toronto Raptors para se despedir do jogador. Não à toa, Kobe foi o mais votado na eleição para eleger o quinteto titular das duas equipes, com 1.891.614 votos. Ele superou por boa margem o atual queridinho da NBA, Stephen Curry, do Golden State Warriors, que recebeu 1.604.325 de votos.
"Este será o grande momento de Kobe. Os fãs, obviamente, votaram para vê-lo em quadra. Vou estar presente neste momento especial para ele", afirmou Curry. O discurso do armador ecoa entre os jogadores que vão participar da festa.

Astro do Oklahoma City Thunder, Kevin Durant, que será titular, assim como Curry, ao lado de Kobe no time da Conferência Oeste, fez questão de enaltecer o craque. "Queria ser como Kobe e estudei os seus movimentos. Ele foi o nosso Michael Jordan", resumiu.

Para Dwyane Wade, do Miami Heat, que será titular da equipe da Conferência Leste, Kobe terá mais uma oportunidade de entender o tamanho do valor que tem para o basquete. "Todos foram duros competindo contra ele, foi vaiado por multidões. Agora está vendo o quanto significa para este jogo. Todo mundo está demonstrando o respeito que ele merece".

Wade tem razão. Desde que confirmou que iria se aposentar, Kobe foi ovacionado em todos os ginásios em que pisou. Certamente isso irá se repetir neste domingo, apesar de o astro ter judiado do time local, em uma partida em 2006. Foi contra o Toronto Raptors, no Staples Center, que o ala registrou o seu melhor desempenho ofensivo, com 81 pontos. A marca só fica trás dos 100 pontos de Wilt Chamberlain em 1962.

Kobe vai procurar retribuir o carinho dos fãs e, mesmo convivendo com dores, promete se entregar em quadra. O astro, que tem 18 presenças no All-Star, será movido por um recorde. Se conquistar o prêmio de MVP (jogador mais valioso), ele ultrapassa Bob Pettit que, assim como ele, foi eleito quatro vezes o melhor da partida.

"Posso garantir que ele está indo para ser o MVP", comentou o ex-companheiro Shaquille O’Neal. Kobe desconversa: "Vou tentar jogar o melhor que posso". O melhor, neste caso, deve transformar o jogo deste domingo em um momento inesquecível.