O idioma espanhol nunca esteve tão em evidência no futebol brasileiro. Com pouco dinheiro em caixa e diante de um mercado escasso, muitos clubes tentam driblar a crise apostando em jogadores de países vizinhos, de moedas menos valorizadas, para amenizar carências técnicas nas diversas posições. A mudança na regra da CBF, que aumentou de três para cinco, neste ano, o número de atletas estrangeiros por time a cada partida, favorece ainda mais a “invasão” sul-americana. Em 2015, o futebol brasileiro registrou recorde, com 46 atletas disputando a Série A.

Não por acaso, nos últimos anos, não foi difícil ouvir sotaques diferente nas entrevistas. Casos dos argentinos Dátolo e Lucas Pratto, um dos destaques do Atlético no Campeonato Brasileiro, além do colombiano Cárdenas. Esse último não teve muito sucesso com a camisa alvinegra e acabou liberado.

Arte gringos

A bola da vez na Cidade do Galo é o equatoriano Juan Cazares. Na Argentina, já é dada como certa a contratação do jovem meia, de 23 anos, que defendeu o Banfield nesta temporada.

“O futebol no nível sul-americano está mais globalizado. Você consegue ter jogadores daqui. O Pratto foi uma contratação assim. Vemos que não é preciso ter muito tempo de adaptação como antigamente”, avaliou o presidente do clube alvinegro, Daniel Nepomuceno.

Na Toca da Raposa, uma “invasão” de gringos já havia sido registrada neste ano. E, ao que tudo indica, o roteiro deve repetir em 2016. Na atual temporada, o clube celeste apostou pesado no mercado sul-americano. Chegaram o uruguaio Arrascaeta, os chilenos Mena e Felipe Seymour, o volante argentino Ariel Cabral, e o atacante colombiano Riascos. No entanto, só Arrascaeta e Cabral conquistaram a torcida.

Apesar disso, a Raposa está próxima de anunciar a contratação do volante Gustavo Cuéllar, que pertence ao Deportivo Cali e atualmente defende o Júnior Barranquila.

Os meias argentinos Matías Pisano, do Independiente e Sanchéz Miño, do Estudiantes, também devem desembarcar na Toca II.

CONCORRÊNCIA

Nos outros grandes clubes do país, a história não é diferente. O Flamengo também negocia com o meia Federico Mancuello, do Independiente, enquanto o São Paulo tenta repatriar o uruguaio Diego Lugano. O lateral Buffarini e o meia Néstor Ortigoza, ambos do San Lorenzo, também interessam.

Do Sul, o Grêmio tenta a contratação do meia Zelarayán, do Belgrano, e do zagueiro Alexis Rolin, do Boca Juniors.