A renovação de contrato do zagueiro Edcarlos, no último sábado, não foi por acaso. Apesar do interesse em manter o jovem Jemerson para a Copa Libertadores, já se admite nos bastidores do Atlético a possibilidade de negociação do defensor na janela de transferências de janeiro.

Um dos destaques do time, o zagueiro de 23 anos vem sendo cobiçado por alguns clubes, e a despedida da Cidade do Galo é tratada como questão de tempo. Além disso, o orçamento aprovado pelo conselho para a próxima temporada prevê a arrecadação de R$ 60 milhões com a venda de atletas do atual elenco.

A convocação para a Seleção Brasileira principal, no jogo contra o Peru, pelas Eliminatórias da Copa de 2018, foi mais um fator de valorização do defensor revelado na base atleticana.

O empresário do jogador, Alex Zica, evita falar sobre o assunto, mas admite que tem recebido muitas ligações. “Não tivemos nada oficial ainda. Existem várias especulações, mas não há nada avançado com ninguém”, revelou o agente.

Recentemente, o Lyon (França) encomendou um relatório sobre o zagueiro, mas não houve proposta oficial. A multa rescisória do jogador – cujo contrato com o Galo vai até novembro de 2019 – é fixada em 33 milhões de euros (R$ 132 milhões) para clubes do exterior. Em caso de negociação, porém, o valor recebido tende a ser bem menor.

DISPENSAS

Enquanto avalia possíveis vendas, o Atlético já iniciou a reformulação do grupo alvinegro para 2016.

Depois de Emerson Conceição, Pedro Botelho, Josué e Cárdenas, o clube optou por liberar também o volante Danilo Pires, de 23 anos.

O jogador chegou à Cidade do Galo no início do ano, foi pouco utilizado e não convenceu torcedores nem dirigentes.

De acordo com o presidente Daniel Nepomuceno, a renovação também envolverá algumas contratações pontuais para 2016.

“Uma ou duas peças a mais. Temos um treinador novo, empolgado com a equipe. Estou satisfeito, e vamos trabalhar dobrado até a bolar rolar”, resume o mandatário alvinegro.