Após quatro dias de disputa chegou a hora de a torcida conhecer o melhor time de vôlei do mundo. Às 15h, no ginásio Divino Braga, em Betim, na Grande BH, Sada/Cruzeiro e Zenit Kazan disputam a final do Mundial de Clubes. Na fase de grupos, o time russo vencer por 3 sets a 1.

Na sexta (30), o Cruzeiro garantiu – com facilidade – vaga na decisão fazendo seu melhor jogo na competição, contra os iranianos do Paykan Tehran. A vitória foi por 3 sets a 0, parciais de 25/19, 25/17 e 25/17.

Além de valer o título, a grande final será um verdadeiro duelo de escolas, a europeia contra a brasileira. Base da seleção comandada por Bernardinho e melhor equipe do país há cinco anos, o Cruzeiro joga com dois ponteiros distintos. Filipe faz muito bem o fundo de quadra, enquanto o cubano Leal normalmente fica por conta de atacar.

Além disso, para recepcionar o saque adversário, o time celeste costuma utilizar uma base de dois a três jogadores no fundo de quadra.

Já o Zenit costuma atuar com quatro jogadores na recepção dos saques, incluindo o oposto Mikhaylov. No ataque todos são armas muito potentes, com destaque para o fenômeno cubano Leon, que no primeiro jogo diante do Cruzeiro marcou 22 pontos. Leon e o norte-americano Anderson são as principais ameaças da equipe comandada pelo técnico Marcelo Mendez.

Outra diferença no jogo dos finalistas é está na forma como as equipes administram o saque. Na equipe russa, os seis titulares sacam forte. Já os cruzeirenses buscam o equilíbrio de pelo menos três sacadores de potência. Os outros apostam no saque flutuante.