Depois de um "susto" na primeira sessão de treinos livres para o GP do México, a Mercedes recuperou a hegemonia na segunda parte da atividade desta sexta-feira (30). Não foi com o campeão Lewis Hamilton, mas sim com o alemão Nico Rosberg, que andou bem mais rápido e terminou com o melhor tempo do dia.

A segunda sessão, aliás, foi bem mais veloz que a primeira. Para se ter uma ideia, Rosberg completou sua melhor volta no Autódromo Hermanos Rodríguez mais de quatro abaixo do líder da primeira sessão, o surpreendente Max Verstappen, que sequer foi à pista na segunda atividade.

Com o melhor carro, Rosberg cravou o tempo de 1min21s531, mais de dois décimos à frente do segundo colocado, o russo Daniil Kvyat, da Red Bull, que marcou 1min21s776. A terceira posição ficou com seu companheiro de equipe, o australiano Daniel Ricciardo, com 1min21s868.

Atrás dos dois carros Red Bull, apareceu o inglês Lewis Hamilton, que já garantiu o título da temporada no último fim de semana, nos Estados Unidos. O piloto da Mercedes anotou a marca de 1min21s961, seguido pelas Ferraris de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, respectivamente quinto e sexto do treino.

O brasileiro Felipe Massa, da Williams, repetiu a colocação que havia obtido na primeira sessão, terminando em décimo, com 1min23s289. Felipe Nasr, da Sauber, decepcionou e terminou com a 15.ª colocação, após completar a volta em 1min23s430.

A primeira prova da Fórmula 1 no México desde 1992 perdeu em importância após a etapa dos Estados Unidos, no último fim de semana, quando Lewis Hamilton garantiu o título do Mundial de Pilotos. A principal briga, agora, é pela segunda colocação. Vettel ocupa o posto no momento, com 251 pontos, apenas quatro à frente Nico Rosberg. A largada da etapa mexicana está marcada para o domingo, às 17 horas.