Cortado dos Jogos Pan-Americanos e do Campeonato Mundial, Rafael Silva pode voltar aos tatames apenas no ano que vem. O 'Baby', como é chamado, foi à mesa de cirurgia na terça-feira, em São Paulo, para operar uma lesão no músculo peitoral superior direito, sofrida durante um treino de força na semana passada.

"O Rafael ficará imobilizado por três semanas, mas já começa as sessões de fisioterapia das partes não envolvidas na próxima segunda-feira. A previsão de retorno aos tatames é de quatro a seis meses", explicou o médico da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), o ex-judoca Breno Schor.

Medalhista nos últimos três grandes eventos do judô (bronze nos Jogos de Londres/2012 prata no Mundial do Rio/2013 e bronze no Mundial da Rússia/2014), Rafael Silva perdeu a chance de competir em Toronto (Canadá) e em Astana (Casaquistão), mas acredita que a lesão não vai atrapalhar sua campanha olímpica.

"É triste ficar fora de uma competição tão importante como os Jogos Pan, ainda mais por motivo de lesão. Creio que isso não irá atrapalhar a minha busca pela vaga olímpica, pois não estarei parado durante o tempo de recuperação. Podem ter certeza, vou trabalhar muito para voltar melhor e mais forte."

Rafael Silva é atualmente o segundo do ranking mundial, mas apenas o sétimo do ranking olímpico, com cerca de 300 pontos de folga sobre David Moura. O rival, de quem perdeu na final do Campeonato Pan-Americano, vai aos Jogos Pan-Americanos e ao Mundial, e pode até passar à frente de Baby.

A CBJ, entretanto, já avisou que não necessariamente vai convocar para a Olimpíada o primeiro brasileiro do ranking. A entidade pode abrir exceções para casos como de Rafael, que vai perder competições importantes para o ranking por causa da lesão.