Os jogadores admitiram que estavam preocupados com a reação da torcida no primeiro jogo da seleção no Brasil após o vexame da Copa do Mundo, mas saíram do Allianz Parque aliviados com a vitória por 2 a 0 sobre o México, neste domingo (7). O temor era que a torcida paulista, que historicamente sempre foi crítica à equipe, não perdoasse os jogadores pelo fracasso no Mundial.

"Estava bastante ansioso com esse reencontro porque a gente vinha de resultados negativos em casa. Mas felizmente a nossa volta para casa foi de forma positiva, com um jogo muito consistente e maduro", disse o zagueiro David Luiz, que esteve em campo nos dois últimos jogos da seleção no País: 7 a 1 para Alemanha e 3 a 0 diante da Holanda.

O volante Fernandinho, um dos piores em campo contra a Alemanha, revelou que começou o amistoso deste domingo tenso, preocupado em agradar os torcedores e não falhar. "Antes do jogo teve um frio na barriga, uma ansiedade por tudo o que aconteceu no ano passado. Particularmente, eu queria começar bem, não errar passes e tentar trazer a torcida para o nosso lado", disse.

O único jogador vaiado foi Elias. As críticas ao volante, no entanto, não foram relacionados ao rendimento dele na partida ou à Copa, até porque ele não disputou o Mundial. "Tenho certeza que só me vaiaram porque jogo no Corinthians. Não vaiaram o meu desempenho nem o dos meus companheiros", disse.

A seleção permanece em São Paulo e faz nesta segunda-feira um treino no estádio do Pacaembu, mas a atividade será fechada, sem a presença de torcedores e imprensa. Na quarta, a equipe duela com Honduras, em novo amistoso, desta vez no Beira-Rio, em Porto Alegre.