Aos 11 anos, Mayron Ítalo Saraiva Bispo nutria um sonho que continua encantando adolescentes pelo mundo afora: ser tornar jogador de futebol. O desejo de se atuar profissionalmente não foi para frente, mas a prática do esporte permitiu ao hoje empresário, de 24 anos, a construção de uma realidade fora das drogas e crimes, ao contrário de amigos da época.

“O esporte foi fundamental na minha vida. Quando não estava na escola, também não ia para as ruas e, consequentemente, não me envolvia com drogas. Não só o futebol, mas também a educação que tive dos meus pais me ajudaram”, comenta Mayron, ao relatar a realidade de amigos de infância que já morreram, em função dos crimes, e outros que continuam até mesmo roubando para sustentar o vício das drogas.

Naquela época, o então adolescente frequentava a escolinha Elite Esportes três vezes por semana e participava de jogos nos fins de semana.

A frustração nos testes de clubes de futebol não desanimou Mayron, que alimentou um outro sonho igualmente comum nos tempos de criança: ser piloto de avião. Na expectativa de se aproximar da aviação, o jovem deu início a um curso de tecnólogo de manutenção de aeronaves, tendo trabalhado nesse setor em uma grande empresa aérea do país. Lá, conheceu duas pessoas e o grupo, há um ano, formou uma empresa no segmento de transporte de cargas.

“Como não passei nos testes de futebol, busquei um outro objetivo na vida para crescer, adquirir bens, da forma correta, trabalhando e estudando.

O que antes eram sonhos profissionais hoje são parte de um projeto de vida pensando no lazer e na saúde. “Mantenho o sonho de aviação por esporte, lazer. O futebol ainda pratico pelo menos uma vez por semana. Me divirto com os amigos e melhoro a saúde, pois o exercício físico tira a aflição do dia a dia”, destaca.

“As vezes vou à escolhida e conto um pouco da minha história para os meninos. É importante incentivar a eles a ter um sonho. Se não der certo, que busquem uma solução.

“O futebol pratico ao menos uma vez por semana. Me divirto e melhoro a saúde. O exercício físico tira a aflição do dia a dia”