O Hospital Albert Einstein divulgou, no final da manhã desta segunda-feira, em São Paulo, mais um boletim médico para informar sobre o estado de saúde de Pelé, que está internado há uma semana para tentar curar uma infecção renal. Os médicos voltaram a trazer boas notícias sobre o Rei do Futebol, que pelo segundo dia seguido teve o tratamento de hemodiálise suspenso. Entretanto, o ex-jogador segue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

"O paciente Edson Arantes do Nascimento (Pelé) evolui bem e permanece sob cuidados na unidade de terapia intensiva. Continua lúcido e estável do ponto de vista hemodinâmico e respiratório. Considerando os parâmetros clínicos e laboratoriais, hoje não será necessário realizar procedimento de suporte renal. A antibioticoterapia permanece a mesma", informou o boletim desta manhã.

O suporte renal, no caso, é a hemodiálise, que consiste na utilização de um aparelho para filtrar o sangue do paciente, cuja recuperação vem evoluindo de forma gradativa desde a última sexta-feira. Antes disso, na quinta, um boletim médico chegou a confirmar que o ex-atleta de 74 anos de idade enfrentava um quadro de "instabilidade clínica". O rim do ex-jogador, que teve de tomar remédios mais fortes para tentar combater a bactéria que causou a infecção, começou a falhar devido ao sangue infectado. Ele também precisou tomar medicamentos para controlar a pressão arterial.

O Hospital Albert Einstein vem divulgando dois boletins médicos por dia para informar sobre a situação de Pelé, que teve a infecção renal identificada em um exame de rotina a qual foi submetido dias após ser submetido a uma cirurgia para retirada de pedras no rim.

A hemodiálise a qual o astro estava sendo submetido foi suspensa inicialmente na manhã de domingo, depois de o ex-jogador começar a reagir bem ao tratamento com antibióticos. Ele, porém, segue sem previsão de alta do hospital, onde poderá permanecer ainda por mais alguns dias.