O futebol profissional saiu de cena, pelo menos momentaneamente. Mas eles continuam suando a camisa. Suspensos por 30 dias por indisciplina, André, Emerson Conceição e Jô não estão parados.

As festas continuam na agenda, no que diz respeito a Jô. Entretanto, futebol e preparação física são as atividades nas “férias forçadas”.

Jô

Para André, um ingrediente a mais e fora do comum. O pai do jogador, Lenilson Marins, confirmou ao Hoje em Dia, que o filho procurou ajuda de psicólogos.

Na capital mineira, André tenta manter a forma malhando numa academia e jogando “peladas” em quadra society com amigos. Jô está em São Paulo, sua cidade natal. A reportagem tentou contato com familiares e o empresário dele no Brasil, mas sem obter sucesso.

Já Emerson Conceição pode ser visto correndo na orla da lagoa da Pampulha, esporadicamente. Com auxílio de um personal trainer, ele também faz parte do cotidiano do lateral-esquerdo do Galo.

“O Emerson está em Belo Horizonte, ele vai voltar ao Atlético no dia 4 de dezembro, quando a suspensão acabar. Lógico que está triste e chateado com tudo isso. Mas eu peço a compreensão da torcida, porque ele ficará em silêncio por enquanto”, disse o empresário do lateral, Nenê Santos.

Emerson Conceição consultou um advogado trabalhista. O jogador, há duas semanas, por meio do agente, manteve contato com o especialista para interpretar a suspensão.

Em contato com a reportagem, o advogado disse que o Atlético errou ao dar o mesmo tratamento a Emerson e Jô. Sendo que o atacante já havia cometido outros dois atos de indisciplina que acabaram resultando em advertências e multas no salário. Ou seja, Emerson era “réu primário”.