A transmissão do Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1 não mostrou imagens do grave acidente sofrido por Jules Bianchi, mas o vídeo da colisão do piloto já pode ser encontrado na internet. Um dia após a corrida, um torcedor que acompanhava a prova do autódromo de Suzuka conseguiu filmar o momento da batida.
 
Após o acidente, Bianchi foi levado às pressas ao Hospital Geral de Mie, onde foi submetido a uma cirurgia na cabeça para conter uma hemorragia intracraniana. Apesar de o procedimento ter sido realizado com êxito, a situação do piloto ainda preocupa.
 
Por considerar as imagens fortes, a transmissão oficial da F-1 não mostrou o momento da batida e também o trabalho da equipe de resgate na retirada do francês. A transmissão só mostrou o carro, já sem Bianchi, sendo retirado pela organização.
 
 
O piloto colidiu com o guindaste que fazia a retirada do carro de Adrian Sutil, que coincidentemente havia batido no mesmo lugar. De acordo com a telemetria da prova ele ultrapassou a marca dos 200km/h momentos antes de escapar na curva, o que permite estimar que a colisão deve ter acontecido a aproximadamente 150 km/h.
 
FIA confirma que estado de saúde de Bianchi é muito grave, mas estável
 
Depois de um período sem notícias, a Federação Internacional de Automobilismo voltou a dar informações sobre o estado de saúde de Jules Bianchi. Apesar de não se aprofundar nos detalhes, a entidade se manifestou a pedido da família para confirmar que o piloto está em estado crítico, mas estável.
 
"É preciso entender que o quadro dele é muito, muito grave", Matteo Bonciani, porta-voz da FIA, aos jornalistas que esperam por informação na porta do Hospital Universitário de Mie, em Yokkaichi.
 
O último comunicado oficial havia sido da Marussia, que pediu “paciência e compreensão” a todos em relação às informações sobre o estado de saúde do piloto e sobre sua recuperação.
 
Phillipe e Christine Bianchi, pais do piloto, viajaram da França ao Japão para acompanharem a recuperação e pediram para que a FIA emitisse o comunicado, confirmando que eles ainda não têm condições de falar com a imprensa no momento. Além dos pais, que já chegaram ao país, ainda são esperados Nicolas Todt, empresário do piloto, e Gérard Saillant, médico que acompanhou as recuperações de Felipe Massa e Michael Schumacher.